USA: A meia-haste do terror

No que vai decorrido de 2019 aconteceram seis tiroteios não relacionadas com a delinquência comum no Estados Unidos, incluindo o mais recente, onde sete pessoas resultaram feridas, na cidade de Chicago.

As matanças ocorridas em um centro comercial de El Paso (Texas) com um saldo de 22 mortos e 26 feridos, e em Dayton (Ohio) que deixaram dez mortos, incluído o atacante, são as últimas de uma longa lista de massacres de civis com armas de foto registradas nos Estados Unidos, segundo informa rtve.es.

 

Por Ronnie Huete Salgado, Washington DC.

Mantém-se a meia-haste a bandeira dos Estados Unidos em todas as instituições oficiais. O cheiro da morte provocado pela guerra interna do racismo vai em crescimento.

O olhar penetrante dirigido à negligência frente ao estado de terror da supremacia branca, é o ambiente que se vive na capital estadunidense, onde a maioria dos seus habitantes descansam na rotina escravizada de suas vidas.

O mandatario, Donald Trump, acostumado a insultar todo ser humano que não é de origem anglo-saxão, afirmou em uma coletiva de imprensa que a culpa dos massacres acontecido em El Paso, Ohio e Chicago, no fim de semana, é dos meios de comunicação.

As declarações de Trump são uma clara dicotomia do seu discurso, já que desde o começo de sua campanha política, ataca frontalmente à população imigrante que reside nos Estados Unidos sem um dos principais artífices da apologia do ódio ocasionado pelo fascismo.

A criação de campos de concentração disseminados em toda a nação norte-americana, somando-se a esta medida de apartheid, o México e a Guatemala, são só o acionar de um ditador que tem claro seu objetivo medieval de seguir autoproclamando seu país como a nação mais poderosa, porém, a decadência deste império é inevitável.

Ante estes tempos difíceis, a humanidade pluricultural que habita nos Estados Unidos dever organizar uma força de luta jamais vista na história deste país, já que é a forma ideal de fazer frente às políticas de um criminoso que governa seguindo o modelo afirmado na história dos passados impérios.

Quando o primeiro presidente dos EUA, George Washington, assumiu ser mandatário desta nação, dirigiu-se através da constituição do país, cujo contexto é enfático no comportamento de dignidade que deve manter um presidente, porém, parecesse que os 243 anos de história deste país foram jogados na lixeira.

Os três massacres ocorridos este fim de semana, são prova  de que a história dos EUA está sendo invertida pela plutocracia que mantém sua ordem econômica na base da  especulação e o consumismo voraz de uma sociedade que agoniza frente às políticas de um milionário convertido em presidente.

O luto se intensifica na nação de Thomas Jefferson e George Washington que, com certeza, se reviram nos túmulos ao ver o sinistro que habita na Casa Branca.

Hoje é o tempo adequado para que a sociedade pluricultural estadunidense comece a botar em alto os malfeitos de quem a governa, a história já comprovou que só através da organização de massas pode-se sanear a cancerígena democracia de um país.

Os fatos acontecidos em Texas, Ohio e Chicago são totalmente deploráveis e condenáveis por toda a humanidade que ainda mantém a consciência de solidariedade e amor ao próximo intactos.

As guerras na Colômbia, Honduras, Sudão, Palestina, Síria, Iêmen, Mali, Líbia, Afeganistão, dentre outras nações, são em parte o resultado e o reflexo de uma guerra interna racial que mantém os Estados Unidos, posto que sua política exterior ainda mantém a inspiração numa falácia de “supremacia branca” de domínio mundial.

O antídoto contra o veneno Trump o possui cada um que lê este artigo e está disposto a curar a terrível doença mental do racismo e a xenofobia; o acionar de cada habitante dos EUA pode ir debilitando este veneno putrefato com o fim de reconfigurar o imaginário coletivo de que as raças não existem, máxima científica que comprova que a única raça é a raça humana, diversificada em culturas.

Que o último massacre acontecido seja um fato para refletir e unificar as forças da solidariedade e o acionar contra o racismo e a xenofobia, através da sadia informação alterna à corporativa, debates ou foros acadêmicos.

Segundo a rede internacional de imprensa, Rádio Televisão Espanhola (RTVE), no que vai de 2019 aconteceram os seguintes tiroteios múltiplos sem relação com a delinquência comum:

Fontes: http://www.rtve.es/noticias/20190804/vegas-encabeza-lista-tiroteos-mas-muertes-estados-unidos/1678742.shtml

https://mundo.sputniknews.com/america_del_norte/201908041088260664-heridos-por-un-tiroteo-en-chicago/

Versão em português: Raul Fitipaldi, para Desacato.info

Imagem tomada de: Código San Luis

Ronnie Huete Salgado é jornalista hondurenho, exilado nos Estados Unidos e correspondente em Washington do Portal Desacato.info.

 

 

 

 

A opinião do/a autor/a não necessariamente representa a opinião de Desacato.info.

#AOutraReflexão

#SomandoVozes

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.