Sem Terra lutam pela construção de unidade pedagógica em Macaé

Doações de produção agroecológica na fachada da prefeitura de Macaé.
Foto: Pablo Vergara
Por Pablo Vergara.

Na terça-feira (26) famílias Sem Terra do acampamento Edson Nogueira, localizado em Macaé, no Rio de Janeiro, realizaram um ato em frente a prefeitura. A ação foi marcada pela doação de produtos agroecológicos da Reforma Agrária Popular para os moradores da região.

Na mesma ocasião, representantes das famílias reuniram-se com o prefeito do município, Dr. Aluízio dos Santos Júnior, para tratar da construção do projeto da Unidade Pedagógica Agroecológica no acampamento.

A reunião foi marcada logo após o projeto ter sido aprovado. O anúncio oficial foi feito na última sexta-feira (22). Participaram da cerimônia representantes do MST e dos projetos envolvidos na proposta pedagógica da escola, além de integrantes da Universidade Federal do Rio De Janeiro (UFRJ), Universidade Federal Fluminense (UFF), representantes Soltec e do edital de habitação do Conselho de Arquitetura do Rio de Janeiro.

Compreenda o Processo

Há um pouco menos de duas semanas as famílias do acampamento Edson Nogueira foram surpreendidas com a informação de que uma ação de reintegração de posse contra o acampamento estava marcada pela prefeitura.

As famílias foram pegas de surpresa, uma vez que o prefeito sempre mostrou-se aberto ao diálogo e ao projeto da Unidade Pedagógica Agroecológica.

Após o recebimento de algumas informações, as famílias descobriram que não existia nos autos do processo de reintegração, nenhuma informação à respeito da produção de alimentos e da escola de agroecologia que já funciona no local em parceria com universidades públicas.

Diante disso, a prefeitura marcou uma reunião com a intervenção do vereador Marcel representando a Comissão de Direitos Humanos da Câmara para tentar impedir a expulsão forçada das famílias.

Ao mesmo tempo, o Movimento entrou na justiça com um pedido de reconsideração da decisão liminar de reintegração.

O argumento utilizado foi o de que a área foi obtida por desapropriação em 2000 para a construção de um matadouro  Durante quase 20 anos nada foi construído.

AtoPrefeitura Macae 26-2_Pablo Vergara003.jpg
Reunião com o prefeito da cidade Foto: Pablo Vergara 

Função social da Terra

As famílias não só entenderam que a prefeitura não vinha cumprindo com a função social da propriedade que é uma obrigação imposta pela Constituição de 1988, como acham que a efetivação de uma Unidade pedagógica que busque alfabetizar jovens e adultos, promover a cultura e a educação através de manejo agroecológico é fundamental para dar ao local uma função social.

Diante disso, foi solicitado à justiça a reconsideração da decisão de reintegração e uma nova audiência de justificação para que as famílias possam expor o projeto da Unidade Pedagógica que já está aprovado, inclusive, pela Câmara de Vereadores.

Diante da justificativa, a justiça aceitou a ponderação das famílias e suspendeu a ação por 15 dias para que a prefeitura apresente propostas de negociação.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.