Morre jovem de 19 anos baleado por PM estagiário no litoral de SP

Abordagem a dois suspeitos iria acontecer por volta das 16h de quinta-feira (06/04), em São Vicente, litoral de SP – Foto: Reprodução/Ponte Jornalismo
Abordagem a dois suspeitos iria acontecer por volta das 16h de quinta-feira (06/04), em São Vicente, litoral de SP – Foto: Reprodução/Ponte Jornalismo

O homem baleado no rosto por um policial militar, que ainda está se formando soldado, na tarde de quinta-feira, 06/04, em São Vicente, litoral de São Paulo, não resistiu aos ferimentos e morreu por volta das 9h30 desta sexta-feira (07/04).

David Pereira Serafim deu entrada no Hospital Municipal de São Vicente, por volta das 16h30, em estado gravíssimo. De acordo com o hospital, ele foi submetido a uma tomografia e, depois, encaminhado à UTI (Unidade de Terapia Intensiva), onde ficou até a manhã de hoje.

De acordo com a Polícia Civil, uma equipe da PM fazia ronda próximo do Corpo de Bombeiros da cidade litorânea. Na região da avenida Capitão-Mor Águiar, dois homens, negros, estavam em duas motos.

Um, estava em uma moto Falcon, avaliada em torno de R$ 13 mil, e o outro, em uma Twister, avaliada em aproximadamente R$ 6 mil. A equipe policial, composta por, pelo menos, quatro PMs, passou pela dupla, suspeitou e decidiu voltar para fazer a abordagem.

Um policial, que estava fazendo estágio na rua, fardado e armado, desceu da moto que dirigia e puxou a arma do coldre. Ao puxar, escapou da mão, caiu, deslizou pela faixa de pedestre e disparou. A bala atingiu a região dos olhos de Serafim.

O caso foi registrado no 1º DP (Distrito Policial) de São Vicente. Procurada na noite desta quinta-feira (06/04), a assessoria de imprensa da SSP (Secretaria da Segurança Pública), terceirizada pela empresa CDN Comunicação, nesta quarta gestão do governador Geraldo Alckmin (PSDB), se manifestou, na noite do dia 7, sobre o assunto com a seguinte nota:

“A Polícia Civil de Santos informa que o caso é investigado por meio de inquérito policial pela Delegacia de São Vicente. As armas dos PMs foram apreendidas e encaminhadas para a perícia. A Polícia Militar instaurou IPM para apurar os fatos e afastou os policiais envolvidos na ação até o fim das investigações.”

Fonte: Ponte.

Você precisa estar logado para postar um comentário Login