Maioria das candidatas trans não se elegeu, mas muitas tiveram votação expressiva

Foto: Reprodução

Mais de 50 candidatas trans e travestis concorreram neste domingo (07) às eleições de 2018. Delas, três conseguiram se eleger – as deputadas estaduais Erica Malunguinho (SP) e as candidaturas coletivas Bancada Ativista (SP) e Juntas (PE). Diversas outras conseguiram ter uma votação expressiva e potencial para eleições futuras.

É o caso de Duda Salabert, que pela primeira vez representou uma mulher trans na disputa do Senado pelo PSOL em Minas Gerais. Duda teve um financiamento modesto de campanha comparado a outros candidatos e conquistou 351.874 votos.

“Fizemos história! Sem tempo para fazer campanha (pois leciono 40 aulas por semana), somente 4 segundos no tempo de TV e com apenas 15 mil reais (a campanha da Dilma custou 4 milhões) conseguimos 351.873 – Maior votação da história do PSOL-MG. No país cuja expectativa de vida de uma travesti é de 35 anos, 351 mil pessoas se sentiram representadas por uma travesti. Obrigada”, escreveu Duda.

Ainda em Minas, a ativista Juhlia Santos foi votada por 4.798 pessoas para deputada estadual. E Leandrinha Du Art teve 4.462 votos para deputada federal. Ambas são do PSOL.

Em São Paulo, a cantora Renata Peron conquistou 13.220 votos (0,06%) para deputada federal pelo PSOL. A professora e pastora Alexya Salvador, que concorria a deputada estadual pelo PSOL, teve 10.486. Já Hailey Kass, também do PSOL, conseguiu 6.176 para deputada estadual. É a primeira vez que elas participam de uma eleição.

38658493_573435629725144_2163386606227030016_o
Juhlia Santos recebeu 4.798 votos para deputada estadual de Minas Gerais
43467122_1875016459247334_5490270739019857920_n
Bárbara Aires teve 3.417 votos votos no Rio de Janeiro

No Ceará, as três candidatas trans a deputada federal tiveram acima de 2 mil votos. Silvinha, do PCdoB, conquistou 2.239 votos. Andrea Rossati, do PPS, com 2.028. E Helena Vieira, do PSOL, foi que superou: 7.305.

Em Pernambuco, Amanda Palha fez bonito em sua estreia na política e teve uma votação expressiva: 12.026 votos (0,28%) para deputada federal.

No Rio de Janeiro, diversas candidatas mostraram potencialidade para próximas eleições. Daniele Balbi, candidata a deputada estadual pelo PCdoB, conquistou 10.349 votos (0,13%). Candidata a deputada estadual pelo PSOL, Bárbara Aires teve 3.417 votos (0,04%). A professora Jaqueline de Jesus, do PT, levou 2.271 votos (0,03%). Loren Du Buá, deputada estadual do MDB, somou 2.224 votos (0,03%). Já Giowana Cambrone, candidata a deputada federal pela Rede, teve 1.119 votos (0,02%).

“Obrigada aos mais de 3300 votos! Vocês são maravilhoses e me enchem de esperança! Não foi dessa vez, mas nos vemos nas lutas da vida!”, agradeceu Bárbara.

No Sergipe, Linda Brasil mostrou que seu trabalho na militância tem surtido efeito e chegou perto de se eleger. Ela concorria a deputada estadual pelo PSOL e recebeu 10.107 votos, o que representa quase 1% dos votos totais (0,93%).

Por fim, em Santa Catarina, Mariana Franco foi a candidata trans com votos mais expressivos: 2.303, 0,06%.

37789226_1876793769052328_8210177165690404864_n
Helena Vieira: 7.305 votos no Ceará

AS FAMOSAS

Algumas candidatas bastante conhecidas do grande público também participaram da eleição aos cargos de deputadas federais, tiveram visibilidade, votos expressivos, mas não o suficiente para se elegerem.

É o caso de Tifanny Abreu, a primeira mulher transexual a jogar em uma equipe profissional de vôlei. Ela esteve candidata a deputada federal em São Paulo, mas os 3.889 votos não foram suficientes para levá-la elegê-la. Uma das críticas envolveram a escolha do partido MDB – o partido de Michel Temer – que ela teve que se explicar diversas vezes.

A artista e jornalista Leonora Áquila voltou a concorrer a deputada federal pelo PHS em São Paulo. Em uma campanha mais modesta – ela justificou que o momento não é de sujar as ruas com santinhos e de crise, que impossibilitou grandes investimentos – ela conseguiu atrair fieis 6.591 votos (0,03%).

Na Bahia, a dançarina Leo Kret foi a única candidata trans, mas não conseguiu se reeleger. No partido DEM – que foi bastante criticado por quem gostaria de votar nela – Leo somou 3.230 votos (0,05%).

O NLUCON apurou e disponibiliza aos leitores e leitoras os votos de todas as candidatas abaixo:

Alagoas:

Cris de Madri – Dep. Estadual – PSDB  0,03% (454 votos)

Bahia:

Leo Kret – Dep. Federal – Democratas: 0,05% (3.230 votos)

Distrito Federal:

Kyara Zaruty  – Dep. Distrital – Avante: 0,01% (100 votos)

Paula Bennet  – Dep. Distrital – PSB: 0,09% (1.259 votos)

Ceará:

Helena Vieira – Dep. Federal – PSOL: 0,16% (7.305)

Andrea Rossati – Dep. Federal – PPS: 0,04% (2.028)

Silvinha – Dep. Federal – PCdoB: 0,05% (2.239)

Goiás:

Geovanna – Dep. Estadual – PSOL 0,03% (950)

Maranhão:

Pamela Maranhão – Dep. Estadual – PT: 0,02% (628)

Minas Gerais:

Duda Salabert – Senadora – PSOL: 1,99% (351.874)

Leandrinha Du Art – Dep. Federal – PSOL: 0,04% (4.466)

Camila Oliveira – Dep. Estadual – PCB*

Juhlia Santos – Dep. Estadual – PSOL: 0,05% (4.798)

Mato Grosso:

Adriana Liário – Dep. Federal – PSOL: 0,11% (1.601)

Pará:

Adriana Lopes – Dep. Estadual – PSOL: 0,02% (699)

Paraná:

Jessica Magno – Dep. Estadual – PT: 0,03%: 1.646

Gisele Schimidt – Dep. Estadual – PSB: 0,01% (573)

Renata Borges – Dep. Federal – PSB: 0,04% (2.577)

Pernambuco:

Amanda Palha – Dep. Federal – PCB: 0,28% (12.026)

Joana Casotti – Dep. Estadual – PCdoB 0,0% (157)

(ELEITA) Robeyoncé Lima (Juntas) – Dep. Estadual – PSOL: 0,87% (39.175).

Piauí:

Safira Bengell – Dep. Estadual – PSDB: 0,02% (275)

Rio de Janeiro:

Daniele Balbi – Dep. Estadual – PCdoB 0,13% (10.349)

Barbara Aires – Dep. Estadual – PSOL: 0,04% (3.417)

Danielle Nunes Mulher – Dep. Estadual – PSOL: 0,01% (640)

Cristian Lins – Dep. Estadual – PT: 0,01% (689)

Professora Jaqueline de Jesus – Dep. Estadual – PT: 0,03% (2.271).

Giowana Cambrone – Dep. Federal – REDE: 0,02% (1.199)

Barbara Sheldon – Dep. Federal – PP: 0,01% (729)

Loren Du Buá – Dep. Estadual – MDB: 0,03% (2.224)

Kakau Ferreira – Dep. Estadual – PTB: 0,00% (174)

 Rio Grande do Norte:

Lara Bianck – Dep. Estadual – PSOL: 0,01% (207)

Rio Grande do Sul:

Luíza Eduarda – Dep. Federal – PSOL: 0,01% (359)

Rondonia:

Sabrina Nascimento – Dep. Estadual – REDE //

Kelly Sales – Dep. Estadual – PMB //

Santa Catarina:

Mariana Franco – Dep. Estadual – PCdoB: 0,06% (2.303)

Luísa Do Prado – Dep. Estadual – PCdoB: 0,02% (775)

Katielly Lanzini – Dep. Federal – PSD: 0,02% (735)

Luíza Bittencourt – Dep. Federal – PSOL: 0,02% (575)

Sergipe:

Linda Brasil – Dep. Estadual – PSOL: 0,93% (10.107)

São Paulo:

Ana Beatriz – Dep. Federal – PDT //

Renata Peron – Dep. Federal – PSOL: 0,06% (13.220)

Leonora Aquila – Dep. Federal – PHS: 0,03% (6.591)

Tiffany Abreu – Dep. Federal – MDB 0,02% (3.889)

Carla Ziper – Dep. Estadual – PMB: 0,00% (376)

Thífany Félix – Dep. Estadual – PMB //

(ELEITA) Erika Hilton – Dep. Estadual (Bancada Ativista) – PSOL: 0,72% (149.844)

Profa. Luiza Coppieters – Dep. Estadual – PSOL //

(ELEITA) Erica Malunginho – Dep. Estadual – PSOL: 0,26% (55.223)

Alexya Salvador – Dep. Estadual – PSOL: 0,05% (10.486)

Hailey Kaas – Dep. Estadual – PSOL: 0,03% (6.176)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.