Evangélicos já representam cerca de um terço da população do Brasil

Foto: Govesp

Igreja evangélica continua a sua expansão no Brasil, contando já com um número de fiéis que representa quase um terço da população do país (31%), segundo um estudo divulgado esta segunda-feira pelo Instituto Datafolha.

A reportagem é publicada por Agência EFE Portugal, 13-01-2020.

Os cultos evangélicos são atualmente a segunda religião mais popular do país sul-americano, apenas atrás do catolicismo, que se mantém como a fé maioritária (50%), ainda que em clara tendência descendente.

Segundo as estimativas, os evangélicos poderão converter-se até 2032 na fé maioritária do Brasil.

Leia mais: Moradores da ocupação Jardim das Oliveiras protestam contra despejo previsto para o dia 16 de janeiro

Em 1980, 83% dos brasileiros declaravam-se fiel à Igreja católica, que desde então tem vindo a perder fiéis a favor da evangélica, que além disso tem ampliado enormemente a sua influência na política.

O estudo, publicado esta segunda-feira no jornal Folha de São Paulo, indicou que a maior parte dos evangélicos brasileiros são mulheres (58%) e negros (59%).

região norte do país, que abrange grande parte da Amazônia, é onde os evangélicos avançam com mais força, ao contar já com 39% da população.

O auge desta corrente do cristianismo é motivo de preocupação por parte do Vaticano, que no ano passado, num sínodo específico sobre a Amazônia, aprovou a proposta de poder ordenar homens casados como sacerdotes nas zonas mais isoladas dessa região.

No sudeste do Brasil, a parte mais desenvolvida e onde se concentra a maioria da população, que se estima num total de 210 milhões de pessoas, 32% dos seus habitantes declaram-se evangélicos e 45% dizem ser católicos.

Os evangélicos tornaram-se num ator influente na política brasileira.

Contam com a sua própria bancada no Congresso e foram fundamentais para a vitória de Jair Bolsonaro, de extrema-direita, nas eleições presidenciais de 2018.

O mandatário, um capitão da reserva do Exército, é católico, mas já participou em diferentes atos evangélicos, tem estreitos vínculos com os pastores mais célebres desse credo e impulsionou medidas em linha com a agenda conservadora do grupo.

De fato, entre os seus ministros encontra-se a pastora evangélica Damares Alves, titular da pasta da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos e que, numa das suas últimas propostas, defendeu a abstinência sexual entre os adolescentes para evitar as gravidezes precoces.

A sondagem da Datafolha tem uma margem de erro de dois pontos e foi realizada em dezembro passado em 176 municípios de todo o Brasil, tendo entrevistado 2.948 pessoas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.