Egípcios vão às urnas na primeira eleição livre após queda de Mubarak

Braço político da Irmandade Muçulmanam PJL é favorito para vencer o pleito.

Os colégios eleitorais no Egito abriram nesta segunda-feira às 8h locais (4h de Brasília) nas históricas eleições legislativas, realizadas pela primeira vez em mais de 30 anos, à revelia do ex-líder Hosni Mubarak, derrubado em fevereiro.

Longas filas se formavam nas entradas dos colégios eleitorais do Cairo, em contraste com a baixa participação de eleitores nos pleitos das últimas décadas.

Foto: EFE

 

Mais de 17 milhões de pessoas estão habilitadas para votar em nove províncias do Egito, entre elas Cairo e Alexandria, na primeira das três fases em que está dividido o processo eleitoral, que se prolongará até março.

Centenas de pessoas aguardam sua vez de votar no Cairo, num ambiente pacífico, em meio a uma grande mobilização das forças de segurança, além de unidades militares.

Os juízes encarregados de supervisionar o pleito chegaram aos colégios e às sedes dos comitês eleitorais uma hora antes da abertura das urnas e receberam a documentação necessária e as cédulas de votação, informa a agência de notícias oficial “Mena”.

Ao todo, 9.500 mil juízes se ocuparão de garantir a supervisão judicial das eleições em todo o país.

De acordo com a agência Efe, a legenda favorita para vencer o pleito é o PJL (Partido Liberdade e Justiça) – braço político do grupo islâmico Irmandade Muçulmana, que distribuiu panfletos de propaganda eleitoral em frente a vários colégios no centro do Cairo e até instalou postos de informação com folhetos do partido.

Em um colégio da rua Nubar, muito perto do Ministério do Interior – onde na semana passada houve confrontos entre policiais e manifestantes -, os eleitores reconheciam sua preferência política pela Irmandade Muçulmana.

Para muitos, como Tayyip Ahmed, de 63 anos, esta era a primeira vez que comparecia às urnas. “Hoje os egípcios precisam ir votar. Se o povo não participar das eleições, não haverá organização nem teremos governantes”, disse.

Funcionário de uma escola, Ahmed confirmou que votará no PLJ. “O povo confia na Irmandade Muçulmana e quer ser governado por alguém que diga a verdade”.

Fonte: operamundi

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.