Curso de Formação: A escuta dos efeitos da violência de Estado-Construção de Memórias e Reparação Psíquica

    INFORMAÇÕES           

Inscrições Prorrogadas até o dia 1 de março!

As aulas do Módulo II  terão início no dia 17 de março de 2017 no Auditório do Centro de Filosofia e Ciências Humanas (Florianópolis-Centro), sempre às sextas-feiras, mensalmente, das 13h30 às 17h30.


Objetivos

  • Oferecer aos profissionais, que atuam junto a pessoas e grupos afetados pela violência do Estado ditatorial e atual, uma formação complementar que instrumentalize a escuta e o trabalho de reparação psíquica destes sujeitos;
  • Contextualizar, histórica e politicamente, os desafios da escuta e reparação dos efeitos da violência de Estado atuais;
  • Proporcionar um espaço intersetorial de trocas de saberes e experiências entre os profissionais da Rede Pública;
  • Mapear e potencializar as estratégias de acolhimento e intervenção sobre os sujeitos afetados pela violência de Estado existente.


O projeto ‘Clínicas do Testemunho

Imagem


Para entrar em contato, envie-nos um email:
[email protected]

Para  acessar a nossa página no Facebook, CLIQUE AQUI.

O projeto Clínicas do Testemunho/Instituto APPOA (2016-2017)integra uma proposta da Comissão de Anistia do Ministério da Justiça que visa constituir núcleos de atenção psíquica e de desenvolvimento de metodologias clínicas para a elaboração dos traumas oriundos da violência de Estado no Brasil ditatorial. Atualmente, fazem parte desta rede cinco núcleos localizados nos estados do Rio de Janeiro, São Paulo, Rio Grande do Sul e Santa Catarina.

O projeto aposta na potência clínico-política do testemunho como forma de quebrar o silenciamento e resgatar a dimensão coletiva das vivências de terror e de resistência durante e após os anos de chumbo. A partir da experiência do projeto-piloto Clínicas do Testemunho/Sigmund Freud Associação Psicanalítica(2013-2015),tornou-se evidente como a ausência de espaços de escuta impede o compartilhamento de testemunhos valiosos para a recuperação da nossa história. Com este objetivo, o projeto oferece espaços de atendimento psíquico e grupos de testemunho, nos quais cada sujeito pode narrar suas histórias da forma que desejar, e, assim, ressignifinicá-las.

Entendemos, desde a psicanálise, que os crimes de lesa-humanidade cometidos pela ditadura civil-militar no Brasil produziram efeitos sociais, políticos e psíquicos profundos nos sujeitos que os sofreram diretamente, bem como sobre seus familiares.

No Brasil, a ausência de responsabilização e julgamento dos agentes da violência de Estado após o período de exceção, o silenciamento, o apagamento e o desmentido da memória individual e coletiva, bem como a individualização dos sofrimentos causados pela Lei de Anistia de 1979 contribuíram para a reprodução, na atualidade, de lógicas perversas de violência estatal e institucional. Esses efeitos se fazem sentir no cotidiano de repetição da violência nas cidades, na insistência da ordem do silêncio e na desconfiança entre a sociedade civil e as estruturas do poder público.

A partir destas questões, o projeto Clínicas do Testemunho também busca a qualificação dos profissionais da rede pública de saúde, da assistência social e da justiça por meio de capacitações, seminários e da elaboração de materiais que possam subsidiar e constituir fonte de pesquisa. Por meio destas ações, o projeto contribui para fazer avançar o conhecimento sobre a violência de Estado, as formas de enfrentamento coletivo a ela e o cuidado com os sujeitos por ela afetados.

Fonte: http://www.clinicasdotestemunhosc.com/

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.