Brasil extingue reserva natural na Amazônia para exploração de ouro

ouro
Está aberta à caça ao ouro, com efeitos certamente irreversíveis na maior floresta do mundo | Reuters

Em decreto publicado no Diário Oficial da União, o Presidente brasileiro, Michel Temer, extingue a Reserva Nacional de Cobre e Associados (Renca), uma vasta zona protegida na Amazônia desde 1984. Com esta decisão, uma região com cerca de 47 mil quilómetros quadrados, entre o Pará e o Amapá, fica aberta à exploração de ouro e outros minerais. Estamos a falar de uma área maior do que a Dinamarca. 

A área será extremamente rica em ouro. E está a partir de agora vulnerável à exploração humana. Cerca de 30 por cento dos 47 mil quilómetros quadrados podem ser usados para mineração.

O Governo de Temer garante que nove zonas de conservação, onde vivem indígenas, vão ser salvaguardadas e legalmente protegidas. Mas vários ativistas no país já afirmaram que, com esta decisão, toda a região ficará comprometida.

O objetivo, afirmou o ministro brasileiro da Energia e Minas, é “atrair novos investimentos, gerar riqueza para o país e emprego para a sociedade”.

É “o maior ataque à Amazônia dos últimos 50 anos”, respondeu o senador da oposição Randolfe Rodrigues, citado pela BBC.

Também Maurício Voivodic, líder da organização conservacionista WWF no Brasil, atacou esta decisão e avisou que ao acabar com a reserva protegida toda a área sofrerá “uma explosão demográgfica, desflorestação, perda de biodiversidade” para além de criar “um conflito pelas terras”.

Está aberta à caça ao ouro, com efeitos certamente irreversíveis na maior floresta do mundo.

Fonte: RTP.

1 COMENTÁRIO

  1. Romero Jucá Senador sua filha explora minério de uma reserva amazônica do tamanho da Dinamarca garantido pos seu PACTO COM TEMER QUE VENDEU AMAZÔNIA

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.