Voto direto: Eleição da FENAJ em SC terá urnas em 7 cidades

ARTE_NOVA_ELEICAOO Sindicato dos Jornalistas de Santa Catarina convoca seus associados a participarem da eleição da nova direção da FENAJ e Comissão Nacional de Ética da categoria, que em nosso estado ocorrerá nos dias 17 e 18 de julho. Haverá urnas na capital e nas cidades de Blumenau, Chapecó, Criciúma, Itajaí, Lages e Joinville.

No ato de votação o eleitor deverá apresentar documento de identidade. Além dos jornalistas sindicalizados até 16 de abril – quites com o SJSC – e dos jornalistas aposentados, poderão votar, também, aqueles que regularizarem seus débitos com o Sindicato nos dois dias da eleição. Para a direção da FENAJ o eleitor escolhe uma das duas chapas. Já para a Comissão Nacional de Ética é permitido o voto em até 5 dos 10 candidatos inscritos.

Veja, a seguir, os textos de responsabilidade das duas chapas concorrentes.

CHAPA-1-SJSC1CHAPA 1 – Um programa à altura da responsabilidade do movimento sindical dos jornalistas

Pedimos o voto dos jornalistas de SC, que têm na CHAPA 1 Valci Zuculoto, Valmor Fritsche e Sérgio Murillo de Andrade, sustentados em ideias, propostas e compromissos de nosso movimento sindical nacional. Lembramos que, para a Comissão Nacional de Ética, cada eleitor pode votar em até 5 candidatos. Neste sentido, pedimos seu voto para Beth Costa (RJ), Sérgio Murillo de Andrade (SC), Romário Schettino (DF), Mário Messagi Jr (PR) e Ângela Marinho (CE).

Formação e qualificação profissional. A profissão de jornalista requer uma formação sólida, que garanta o conhecimento teórico, as competências e habilidades técnicas e o comprometimento ético ao profissional, bem como o direito da sociedade à informação de qualidade. Por isso a chapa Sou Jornalista, Sou FENAJ! defende a exigência do diploma de Jornalismo, as novas diretrizes curriculares e ações de aprimoramento da qualificação profissional. LEIA MAIS

CHAPA2CHAPA 2 – Doenças laborais, multifunção e desemprego: os problemas que a Fenaj ignora

Hoje (11/07), muitos jornalistas estarão nas ruas cobrindo o dia de lutas que centrais sindicais e sindicatos independentes organizaram. As categorias, de setores públicos e privados, têm muitas pautas em comum, dentre elas o fim da precarização, o fim da terceirização e a luta contra o assédio moral. São três problemas gravíssimos que também estão presentes no dia a dia dos jornalistas – os mesmos que estarão nas ruas como testemunhas, não como protagonistas.

As atuais condições do trabalho do jornalista, o qual se tornou mais intenso com o acúmulo de tarefas progressivo, têm trazido graves consequências para a saúde desses profissionais. Segundo declaração do psicólogo Roberto Heloani à reportagem da Agência Pública, houve aumento de depressão e dependência química na categoria nos últimos dez anos. LEIA MAIS

Fonte: http://sjsc.org.br/votodiret/

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.