Tomada // Mulheres de Luta

Tomada // Mulheres de Luta
Acontece na próxima terça-feira, dia 4 de abril, no Largo da Alfândega mais uma TOMADA. O evento que busca ir na direção da rua como espaço de encontro, ocupação e mobilização social é organizado pelos coletivos da cidade, Ocupa Obarco e ETC. Esta será a 6ª edição da TOMADA que acontece desde 2015, desta vez com o tema: Mulheres de Luta.
 foto-cassiana-lopes-dos-reis-1
Para xs integrantes que compõe o corpo de produção do evento, o abandono é considerado material rico com potencial de transformação e reaproveitamento, e isso emerge dentro de várias ações. Do próprio ato de ocupar os espaços públicos em horário não-comercial, subvertendo a ideia de cidade como playground do capital que se esvazia ao fim do dia. Como também as atividades realizadas na TOMADA: Operação Resgate, que à partir de alimentos (selecionados, considerados bons para consumo) coletados no descarte de sacolões é preparada uma refeição e oferecida durante evento à preço livre. Com a ideia de “pegue o que quiser, pague quanto puder” a Anti-Loja se propõe à ofertar roupas usadas em bom estado cujo valor é o comprador quem dita.
Além da Anti-Loja e Operação Resgate, na programação – que inicia às 17h – a Jam Palco Aberto oferece instrumentos e microfones abertos para intervenções e alucinações político-sonoras. Os coletivos fazem um convite em especial para mulheres cantoras, mc’s, compositoras, musicistas, percussionista da cidade para participarem desta ação.
Logo depois da Jam, às 20h acontece o CineMeioFio, com a exibição de três curtas-doc: ‘Mulheres da Terra’, de Márcia Paraíso, ‘Antonieta’, de Flávia Person, e a ‘Vida Que Não Cabe’ de Baruc Carvalho Martins. Que seguirá com um debate sobre as mulheres no mercado de trabalho, com mediação de Gabi Zabeu (Ocupa OBarco). O projeto do CineMeioFio concebido pelo do ETC surgiu como ideia de produzir um ruído político na rua e de tornar público e gratuito algo que vem se elitizando, como as salas de cinema dos shoppings centers – o substituto dos espaços de convivência social.
Para finalizar a ocupação temporária acontece uma roda de coco. Um espaço aberto para todes brincantes que quiserem cantar, dançar e batucar esse ritmo afro-brasileiro originário da região nordeste do país.
foto-cassiana-lopes-dos-reis-2
A TOMADA é um evento sem fins lucrativos organizado de forma independente através de autogestão. Pelo encontro entre os coletivos -ETC e Ocupa Obarco- a iniciativa também busca questionar os imóveis públicos que se encontram sem o uso social pelo estado – para não dizer ABANDONADOS. Tomar nosso espaço, retomar direitos, transformar tudo, tomemos!
Quem faz:
Ocupa Obarco (www.ocupaobarco.com)
Obarco quer navegar na cidade, ocupando espaços ociosos – com graça, de graça; nas praças, nas casas vazias, nos vazios que sobram nos diálogos.
O ETC usa ações diretas – em choque com as normas vigentes – para interferir no fluxo cotidiano. O grupo inquieta-se por provocar gradativos ruídos na frequência contínua que visa domesticar e despolitizar a relação entre corpo e cidade.
Programação completa:
17h-20h – Anti-loja de roupas a preço livre
18h-20h – Jam Palco Aberto: instrumentos e microfone abertos para intervenções e alucinações político-sonoras
18h30-21h – Operação Resgate: rango de alimentos reciclados a preço livre
20h-22h – CineMeioFio + Roda de conversa sobre “Mulheres no mercado de trabalho”
22h-00h – Roda de coco
Serviço:
O QUE É: TOMADA // Mulheres de Luta
QUANDO: Terça-feira, 4 de abril
ONDE: Largo da Alfândega, centro – Florianópolis/SC
QUANTO: Gratuito
Mais informações no evento: TOMADA

Você precisa estar logado para postar um comentário Login