Sem Terra comemoram a demarcação de agrovilas agroecológicas no sul da Bahia

10
Famílias Sem Terra que conquistaram a imissão de posse no extremo sul da Bahia, realizam ato para celebrar a demarcação das agrovilas agroecológicas nos dois assentamentos criados no local: Jaci Rocha e Antônio Araújo. Foto: MST.

O processo garantiu a construção de assentamentos agroecológicos capazes de recuperar a fauna e flora da região, diminuindo o grande passivo ambiental provocado pelos monocultivos de eucalipto da antiga fazenda

As mais de 227 famílias Sem Terra que já conquistaram a imissão de posse da Fazenda Colatina, no município do Prado, extremo sul da Bahia, realizam um ato neste sábado (29) para celebrar a demarcação das agrovilas agroecológicas nos dois assentamentos criados no local: Jaci Rocha e Antônio Araújo.

Sem perder de vista a histórica luta em defesa da Reforma Agrária Popular, os trabalhadores acreditam que o evento, que acontece no Assentamento Jaci Rocha, será um momento simbólico para fortalecer a unidade e provocar a sociedade a se somar ao processo de luta pela terra.

Demarcação

A partir da conquista da área, em 2015, as famílias começaram um processo de organização e demarcação da terra em agrovilas de acordo com as aptidões produtivas de cada um.

O processo garantiu a construção de assentamentos agroecológicos capazes de recuperar a fauna e flora da região, diminuindo o grande passivo ambiental provocado pelos monocultivos de eucalipto da antiga fazenda.

Os trabalhadores estão se organizando em 23 agrovilas, com a média de dez famílias em cada uma. O objetivo é potencializar a produção agroecológica, o intercâmbio de experiências e a construção coletiva do conhecimento.

Fonte: MST.

Você precisa estar logado para postar um comentário Login