Secretária de Educação de Fraiburgo/SC volta atrás depois de pressão popular em redes sociais

Por Jilson Carlos Souza, para Desacato.info.

Especialistas afirmam que o Facebook foi lançando em 2004, o Youtube um ano depois, 2006 marcou o início das atividades do Twitter, e quatro anos depois surgiu o Instagram e Watsapp. Essas redes sociais virtuais entre outras, vem sendo utilizadas para fazer pressão popular sobre detentores de mandato público e cargos comissionados, seja na esfera municipal, estadual ou federal.

É fato que as redes sociais virtuais estão presentes em nosso dia a dia. Mas, afinal, até onde elas podem influenciar a sociedade? É possível ter noção da sua força? São elas apenas simples aplicativos que permitem a troca de ideias e fotos, bate papo, onde se procura por amigos e colegas de escola e se promove encontros? Ou elas permitem uma nova maneira de participação da e na sociedade?

Não se pode mais ignorar o “poder” das redes sociais virtuais e as possibilidades de participação, a velocidade de divulgação e alcance muito rápido das notícias vinculadas nelas. Um exemplo disso, foi protagonizado por estudantes do IFC-Videira que moram em Fraiburgo/SC, acadêmicos da Unoesc, mães e pais que se utilizaram de uma rede social virtual nos últimos dias, para denunciar a Secretária Municipal de Educação e o Prefeito de Fraiburgo, que haviam cortado o transporte escolar para Videira no período matutino e não queriam nem receber os acadêmicos e estudantes para dialogar sobre o assunto.

Na sexta-feira (29/01), os estudantes prejudicados com a medida aproveitaram o facebook para denunciar o corte do transporte e a falta de diálogo dos gestores, e no sábado e domingo a repercussão foi muito grande, várias curtidas, comentários e compartilhamento das postagens sobre o assunto, forçaram a gestora da pasta da educação de Fraiburgo a convidar os pais, mães e estudantes para uma reunião, realizada na segunda-feira (31/01). No encontro a Secretária voltou atrás também sobre o corte do transporte, e no início das aulas terá transporte tanto para os acadêmicos, bem como para os estudantes do IFC-Videira, o qual deixará de ser gratuito.

Com as redes sociais virtuais, temos a impressão a cada dia que passa, que vivemos em um mundo menor e interligado, porém a mobilização não pode ficar apenas nos espaços virtuais/digitais, precisamos ocupar também as praças, ruas, prefeitura, câmara de vereador para exigirmos nossos direitos.

Fonte: Blog Esportes em Debate

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.