São Paulo: Mulheres saem às ruas pelo Fora Temer e por diretas já no domingo

Publicado em: 08/06/2017 às 11:03
"Elas se reúnem não apenas porque querem votar, as mulheres querem mais direitos"
“Elas se reúnem não apenas porque querem votar, as mulheres querem mais direitos”

São Paulo – Movimentos de mulheres e organizações feministas saem às ruas no próximo domingo (11) em São Paulo para exigir a saída do presidente Michel Temer (PMDB-SP) e a realização de eleições diretas já. O ato, convocado por artistas, intelectuais e atletas será realizado no Largo do Arouche e contará com a participação das cantoras Maria Gadú, Tulipa Ruiz, Ana Cañas, Lurdez da Luz, dentre outras.

Além da mudança do atual governo e a realização de novas eleições, a manifestação intitulada Mulheres Pelas Diretas e Por Direitos também marca posição contra a retirada de direitos dos trabalhadores representada pelas propostas de reforma trabalhista e da Previdência, que as prejudicarão ainda mais gravemente.

“Esse é um momento muito importante na história do Brasil, de lutar, diante do golpe vivido, por diretas já. Estamos num golpe que não cessa e precisamos nos manifestar. As mulheres, feministas ou não, têm papel fundamental nesse processo, de devolução da dignidade à política brasileira”, afirma a filósofa Marcia Tiburi.

Elas também reivindicam o combate a todas as formas de violência contra a mulher e lutam pela derrubada da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 29/2015, que proíbe o aborto mesmo em caso de risco à vida da gestante, gravidez gerada por estupro ou fetos com anencefalia, hoje considerado legal para estes casos.

“As mulheres têm sido uma voz ativa muito forte nesse processo político inteiro. Desta vez não poderia ser diferente. Elas se reúnem não apenas porque querem votar, as mulheres querem mais direitos”, diz a atriz Maeve Jinkings.

O combate à LGBTfobia, à violência contra a juventude, além de uma mudança na política econômica “voltada para a sustentabilidade da vida humana” também estão entre as bandeiras levantas pelas mulheres.

“Chegou a hora de a gente derrubar esse presidente ilegítimo, esse governo que não nos representa. Então queria chamar a todas vocês, no dia 11, às 12h, no Largo do Arouche, pelo nosso direito de votar”, convoca a nadadora Joanna Maranhão.

Fonte: RBA.

Deixe uma resposta