Sabe a Praça de São Miguel do Oeste? A rua? É do povo.

Por Claudia Weinman, para Desacato. info.

A vinda do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva a São Miguel do Oeste/SC neste domingo, dia 25, tem gerado conflitos, como de esperado. As demonstrações de ataque não acontecem apenas nesta cidade, mas em outras em que a caravana tem realizado sua agenda.

A questão é que agora ocupar a rua não é em exclusivo pelo Lula. A necessidade da Direita e da ala ignorante em termos sociais, históricos e culturais se organizarem  para barrar tudo aquilo que o povo organizado do interior do estado representa vai se evidenciando cada vez mais. Não é a toa que eleitores do Deputado Jair Bolsonaro querem e vão ocupar as ruas, com esparadrapo na boca (ótimo) e vestindo a cor preta, em sinal de luto, de repúdio, e mais uma vez, o “preto” assumindo a conotação de algo ruim.

A questão crítica da história toda é que o povo precisa ocupar esse espaço na rua em outros momentos também, para defender a previdência, os direitos trabalhistas, etc… etc…. E o que está colocado para alguns grupos sociais e populares hoje é a certeza que não existe um “messias”. Mas também que a resistência em ocupar os arredores da Praça Walnir Bottaro Daniel neste domingo se faz imprescindível neste momento em que a Administração que atua na Prefeitura da cidade quer boicotar os espaços públicos, como se estes pertencessem a determinado partido e, além disso, se colocam na posição de quererem censurar a imprensa livre e independente.

Nesse sentido, para quem não defende estuprador, para quem não defende a xenofobia, o racismo, a opressão, etc… etc…. Vale à rua como sempre. Para alguns o cenário será de adoração, outros de repúdio, para outros/as a cobrança pelo que não foi feito em termos de política para as gentes (parcerias com o capital, etc…) mas especialmente, para os grupos de resistência do interior vale a pena ocupar a rua para dizer que ESSE ESPAÇO É DO POVO.

_

Claudia Weinman é jornalista, diretora regional da Cooperativa Comunicacional Sul no Extremo Oeste de Santa Catarina. Militante do coletivo da Pastoral da Juventude do Meio Popular (PJMP) e Pastoral da Juventude Rural (PJR).

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.