Retrospectiva Semanal do Portal Desacato entre 16 e 21 de abril de 2018

Servidores e servidoras municipais de Florianópolis deram as costas para o plenário da Câmara de Vereadores, mas, não dão as costas para a realidade que exige luta, recuperação de direitos perdidos e garantias de educação e saúde públicas e de qualidade. Por isso seu grito ecoa.

Desacato acompanha essa luta e amplifica esse grito a cada dia, em cada texto, foto, imagem, em cada jornada. É nosso dever.

Amanhã tem mais, com o comando da nossa Diretora Geral, Tali Feld Gleiser.

Boa semana para todas e todos, boa luta e até amanhã!

Imagens: Artur Cappellette, para Desacato.info.

A agressão imperialista na Pátria Grande se viu refletida na 8va. Cúpula das Américas. Sobre o cinismo de vários líderes de governo da região escreveu o membro do Grupo de Estudos da Teoria da Dependência, analista e tradutor, Elissandro Santana.

Paradoxos e hipocrisias de alguns líderes políticos na VIII Cúpula das Américas

Na semana que passou, também houve debate da Educação do Campo, pois já houve tentativas de várias prefeituras de fecharem escolas rurais em Santa Catarina. A comunidade escolar da Linha Dois Irmãos não permitiu. Juliane Pasini explicou a Rosangela Bion de Assis a importâncias dessa vitória.

Falávamos quando do artigo desta semana de Débora Mabaires que o tema de Florianópolis era um espelho do problema nacional, e claro, que o nacional era uma cópia do que sofrem os países da região ante a ofensiva imperialista. Pois bem, a socióloga e doutora em geografia, Rita Coitinho, diz que é mais, é mundial. Repare:

O poder mundial em jogo

Em Florianópolis, depois se serem maltratados os vereadores do campo popular e agredidos pela polícia os manifestantes que estavam dentro e fora da Câmara de Vereadores, com a votação em favor do projeto privatista de Gean Loureiro, o povo não arredou pé e esperou a palavra das lideranças no palco montado na esquina da sede legislativa municipal.

Além do problema das OS em Florianópolis, os problemas nacionais continuam se aprofundando. Lula foi preso por segunda vez na sua vida. Sobre isso escreveu na coluna coletiva A Outra Reflexão, a jornalista e antropóloga, Sônia Maluf.

As duas prisões do Lula: o eterno retorno da violência política das elites

Apesar da intensa mobilização popular no entorno da Câmara de Vereadores, das tentativas da bancada popular argumentando sobre os prejuízos que o repasse das creches e os postos de saúde às Organizações Sociais, com fins de lucro,  traria na qualidade do serviço e na estabilidade dos trabalhadores, mesmo assim votaram e por 16 a 7 conseguiram aprovar o projeto. No entanto, o vereador Afrânio Boppré do PSOL não deu o assunto por terminado e explicou as razões.

 

Se o problema que vive Florianópolis com a gestão privatista é um reflexo da política nacional, essa política nacional não difere dos interesses das transnacionais e o imperialismo para toda a região. Com um irônico e sugestivo título, Débora Mabaires, desde Buenos Aires, nos introduz na sua coluna n’A Outra Reflexão, nesse espelho de privatização e corrupção que é o governo de Maurício Macri, na Argentina.

Argentina a caminho do hospital psiquiátrico

O ambiente de Florianópolis não é diferente do que em outras capitais nacionais. Os grandes temas que repercutem no cotidiano dos ilhéus e ilhoas é de tensão, de desejo de expressão e de tomar posição perante o clima político e econômico. No JTT – Jornal dos Trabalhadores e Trabalhadoras, da segunda-feira, 16 de abril, apresentado por Caroline Dall ‘Agnol, a repórter Mayara Santos foi às ruas para perguntar se as pessoas são favoráveis ou não ao adiamento das eleições nacionais. Confira o resultado:

Leonardo Segura Moraes, faz parte do  grupo de economistas do campo popular que escrevem sobre A Outra Economia, no Portal Desacato. É interessante ler o que ele escreveu porque, mesmo sendo um assunto nacional, traz luz sobre os debates e lutas que, em Florianópolis, têm como centro de atenções a Câmara de Vereadores, abrigando a onda privatizadora, os ajustes e a redução do município, que capitaneia o prefeito da capital catarinense.

O que está em jogo com os ajustes fiscais no Brasil?

A Câmara de Vereadores de São Miguel do Oeste, na divisa com Argentina, não é diferente da similar de Florianópolis. Ela também toma medidas antipopulares com frequência e parece não gostar especialmente dos indígenas. Claudia Weinman escreveu sobre isso na sua coluna n’A Outra Reflexão.

Vereadores não querem indígenas nas ruas de São Miguel do Oeste/SC

Os vereadores favoráveis ao projeto privatizador do prefeito Gean Loureiro chegaram escoltados pela polícia. Assim se iniciava em Florianópolis um momento triste  da sua história democrática. Depois aprovação na marra e violência policial dentro e fora da casa legislativa.

Para a jornalista Míriam Santini de Abreu, na coluna coletiva A Outra Reflexão, o prefeito de Florianópolis não quer deixar nada público em pé. Míriam escreveu isto um dia antes de que a “tropa de choque governista”, aprovara em meio a protestos pacíficos e truculência policial o projeto que entrega os serviços principais ao capital privado, representado nas Organizações Sociais.

A furiosa onda privatista na administração de Florianópolis

O vereador Afrânio Boppré (PSOL) explica qual é o procedimento legislativo após a votação de ontem, 21 de abril, em que foi aprovado o projeto do prefeito Gean Loureiro que privatiza a saúde e educação no município de Florianópolis. Votos a favor: 16. Votos em contra: 7

Imagens: Artur Cappellette, para Desacato.info.


 

O programa de rádio web, Informativo Paralelo, também teve sua edição ao vivo da terça-feira, dia 17 de abril, direcionada ao tema da semana: Privatização da Saúde em Florianópolis. Se não escutou tá na hora:

Privatização da Saúde em Florianópolis, no Informativo Paralelo

O professor em saúde púbica e colunista, Douglas Kovaleski, ocupou seu espaço n’A Outra Reflexão, com um chamado-alerta e expressando sua satisfação pela atitude dos servidores municipais de Florianópolis, contra a privatização do atendimento em saúde e em outras áreas da administração.

Mesmo com a votação de ontem, dia 21 de abril, pode  abrir brechas legais que impeçam a materialização do projeto do prefeito Gean Loureiro. A mobilização deverá continuar.

A população está alerta, as organizações sociais não passarão!

Bom domingo a todas e todos. Iniciamos nossa edição de hoje repassando os acontecimentos que marcaram a semana em Florianópolis, no que a colunista Míriam Santini de Abreu destacou como “A furiosa onda privatista da administração de Florianópolis”.

Venha conosco até as 21h.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here