Reitor Ubaldo divulga carta aberta à comunidade da UFFS

O reitor Ubaldo Cesar Balthazar encaminhou, nesta quarta-feira, 11 de setembro, uma carta à comunidade universitária da Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS). Leia, abaixo, na íntegra.

Foto: Claudia Weinman, para Desacato. info.

Carta Aberta à comunidade da Universidade Federal da Fronteira Sul

O processo de escolha dos dirigentes máximos das IFEs ocorre – apenas para ficar no exemplo da UFSC – desde o início dos anos de 1980. Foram, portanto, dez consultas, em que a comunidade escolheu, o Conselho Universitário referendou e os Ministros da Educação confirmaram o nome do Reitor ou Reitora mais votado e liderando a lista tríplice.

Mais do que representar um gesto de respeito à vontade legítima de uma comunidade, as decisões dos Ministros, ao longo destes mais de 40 anos, tiveram como resultado a preservação de um ambiente institucional harmônico, equilibrado e consensual. E, por que não dizer, legal.

Se você sabe, ou quer saber, qual foi a importância da Novembrada, você pode colaborar no financiamento coletivo do docuficção Novembrada-Quarenta: Pra não esquecer, do Portal Desacato. Clique em https://www.catarse.me/quarenta

O que temos visto nas recentes nomeações de Reitores e Reitoras passa ao largo do que presenciamos ao longo deste período histórico recente.  E aqui não se contesta a defesa de que a nomeação de um dentre os três das listas revista-se de legalidade. Não, não é ilegal escolher e nomear o segundo ou terceiro indicados. Todavia, é perigoso.

Diante da tensão que recentes nomeações têm provocado, fica evidente que o ato administrativo perfeitamente jurídico implica em um gesto de desestabilização do ambiente universitário.

Se há uma lei que preconiza a consulta que, em decorrência, gera uma lista tríplice, é por que construímos a prática da eleição dos Reitores. É um exercício democrático, validado pela escolha formal na instância máxima deliberativa, que é o Conselho Universitário. E o que nos parece mais relevante no atual momento: o Reitor ou a Reitora de uma Universidade Federal não é o representante do Governo na instituição. Ele é o representante da comunidade universitária perante o Governo Federal e todas as suas estruturas.

No caso em particular da nossa coirmã UFFS, não se discute a legalidade, tampouco se contesta a formação do Reitor nomeado, mas é fundamental que se respeite a decisão da Universidade, sem inverter os papéis entre uma Autarquia, com autonomia garantida pela Constituição Federal, e o Governo. Não se trata, muito menos, de apoiar estratégias ou formas de protesto e manifestação, mas de reconhecer a justa indignação política da comunidade universitária.

Finalmente entendemos que as reações daquela comunidade de docentes, técnicos e estudantes são diretamente proporcionais à ação a que a Universidade foi sujeita. O que a comunidade da UFFS requer é ser representada por quem ela julga ser seu legítimo representante, e não por quem o MEC julga como tal.

Florianópolis, 4 de setembro de 2019.

Ubaldo Cesar Balthazar
Reitor da UFSC

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.