Queima de arquivo: Assessor de vereador ouvido no caso Marielle é executado

Manifestante acede vela após ato de solidariedade à vereadora, no Rio de Janeiro

Redação.- O líder comunitário Carlos Alexandre Pereira Maria, de 37 anos, foi morto a tiros, na noite deste domingo, na Taquara, na Zona Oeste do Rio. O corpo foi encontrado dentro de um carro, localizado por policiais militares do 18º BPM (Jacarepaguá) na Estrada Curumau, na localidade conhecida como Boiúna. Agentes da Delegacia de Homicídios (DH) da Capital fizeram uma perícia no local.

Os investigadores já sabem que Alexandre era colaborador do vereador Marcello Siciliano (PHS), ouvido no inquérito que apura as mortes da vereadora Marielle Franco (PSOL) e do motorista Anderson Gomes. Uma das linhas de investigação é sobre o envolvimento de Alexandre com uma milícia. A relação dele com o vereador também será alvo da investigação da DH.

O crime aconteceu por volta das 20h45m. De acordo com relatos de testemunhas aos PMs do 18º BPM, pouco antes de atirar contra a vítima, também conhecida como Alexandre Cabeça, um dos assassinos gritou: “Chega para lá que a gente tem que calar a boca dele”. Depois, abriu fogo.

O corpo de Alexandre foi levado para o Instituto Médico-Legal (IML), de onde, segundo a DH, deverá ser liberado nesta segunda-feira. Ainda não há informações sobre a motivação do crime.

A assessoria de Siciliano informou que Alexandre atuava junto aos moradores de algumas localidades da Zona Oeste, onde era líder comunitário. Ele identificava necessidades de quem vivia nessas áreas e as repassava para o parlamentar.

Leia matéria completa no Globo

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here