Professora é brutalmente agredida por aluno em escola de SC

Publicado em: 21/08/2017 às 17:32

Professora-agredida-960x670

A violência, definitivamente, invadiu as salas de aula. No município de Indaial, em Santa Catarina, a professora Marcia Friggi foi brutalmente agredida por um de seus alunos, de apenas 15 anos, nas dependências da escola. Indignada com o fato, ela resolveu desabafar em sua página do Facebook. Marcia resumiu seu sentimento em uma palavra: “Dilacerada”. O depoimento dela foi o seguinte:

“Estou dilacerada. Aconteceu assim: Ele estava com o livro sobre as pernas e eu pedi:
– Coloque seu livro sobre a mesa, por favor.
– Eu coloco o livro onde eu bem quiser.
– As coisas não são assim.
– Ahhh, vai se foder.
– Retire-se por favor.

Ele levantou para sair, mas no caminho jogou o livro na minha cabeça. Não me feriu, mas poderia. Na direção eu contei o que tinha acontecido. Ele retrucou que menti e eu tentei dizer:
– Como, menti? A sala toda viu… Não deu tempo para mais nada.

Ele, um menino forte de 15 anos, começou a me agredir. Foi muito rápido, não tive tempo ou possibilidade de defesa. O último soco me jogou na parede. Estou dilacerada por ter sido agredida fisicamente. Estou dilacerada por saber que não sou a única, talvez não seja a última. Estou dilacera por já ter sofrido agressão verbal, por ver meus colegas sofrerem. Estou dilacerada porque me sinto em desamparo, como estão desamparados todos os professores brasileiros.

Estamos, há anos , sendo colocados em condição de desamparo pelos governos. A sociedade nos desamparou. A vida… Lembrei dos professores do Paraná que foram massacrados pela polícia, não teve como não lembrar. Estou dilacerada pelos meus bons alunos, que são muitos e não merecem nossa ausência. Estou dilacerada, mas eu me recupero e vou dedicar a minha vida para que nenhum professor brasileiro passe por isso nunca mais”.

 

Foto: Reprodução/Facebook.

Fonte: Revista Fórum.

4 Comentários para "Professora é brutalmente agredida por aluno em escola de SC"

  1. ana lía   22/08/2017 at 16:01

    é parte do plano que está sendo levado a cabo no brasil

    Responder
  2. Maria adele donde   21/08/2017 at 21:49

    Torço pra que um dia essa profissão acabe.

    Responder
  3. Cesar dos Santos   21/08/2017 at 21:38

    Eu sou professor me chamo César dos Santos, as autoridades conselho tutelar deveriam voltar os olhares para esse fato, rever a situação, pois todos nós corremos esse risco, eu m refiro que educação respeito vem d casa então por favor alguém tem que c compromete por esse crime!!!!

    Responder
  4. Nestor   21/08/2017 at 20:41

    É revoltante o que aconteceu com a senhora e como foi bem lembrado, não é um caso isolado. A sociedade e as instituições responsáveis pela educação estão perdendo espaço para a violência, a resposta tem sido lenta e inócua, já sabemos onde vamos parar se esta via não for interrompida.
    Além dos baixos salários, da carga e das condições de trabalho inadequadas, das responsabilidades transferidas da família para a escola, temos a violência contra os professores como mais um grande fator para desestimular a carreira docente. Quem quererá se tornar professor conhecendo estas condições? Sem professores poderá haver escolas? Há certamente quem perceba com frieza o jogo em curso e está pronto para decretar, pouco a pouco, o fechamento de escolas públicas por falta de professores.

    Responder

Deixe uma resposta