Prefeito de Bogotá reassume cargo às vésperas da eleição presidencial

Publicado em: 15/05/2014 às 08:14
Prefeito de Bogotá reassume cargo às vésperas da eleição presidencial

Por Leandra Felipe.*

O prefeito de Bogotá, Gustavo Petro, conseguiu nesta terça-feira (13) medidas cautelares que congelam sua destituição e ilegibilidade por 15 anos. Ele foi condenado em dezembro do ano passado, após ser investigado por denúncias de improbidade administrativa.

Prefeito de Bogotá Gustavo Petro
Prefeito de Bogotá Gustavo Petro

O prefeito foi mantido no cargo pelo mesmo Conselho que havia acatado decisão da Procuradoria-Geral da Nação sobre sua destituição. A lei colombiana prevê que o Ministério Público não só receba denúncia de improbidade contra gestores de cargos políticos, mas também possa destituí-los.

Durante cinco meses, o prefeito travou uma batalha para não ser destituído. Fez campanha para ser mantido no cargo, tanto com apelações judiciais em todas as instâncias possíveis, como na opinião pública e manifestações em frente ao Palácio Municipal. Petro recorreu também à Corte Interamericana de Direitos Humanos que considerou arbitrária a decisão de destituí-lo.

O processo contra Petro foi provocado por acusações de irregularidades em sua administração, quando, em dezembro de 2012, ele fez mudanças no sistema de coleta de lixo, transformando o modelo privado em estatal. Em seguida, criou uma cooperativa de lixo que beneficiava catadores de papel.

O prefeito foi acusado de ter feito as alterações à revelia das regras previstas, sem consulta e sem aprovação da Câmara Municipal. Além disso, a mudança foi feita antes que a empresa estatal estivesse funcionando, o que causou problemas de acúmulo de lixo nas ruas da capital.

Na época, o presidente Juan Manuel Santos disse que a decisão da procuradoria deveria ser acatada e que não poderia intervir em favor de Petro, um importante apoiador do processo de paz entre o governo e as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia.

A decisão favorável a Petro foi anunciada no mesmo dia em que políticos ligados ao prefeito anunciaram apoio à candidatura de Santos à reeleição.

Faltam menos de 15 dias para as eleições presidenciais e os candidatos Oscar Zuluaga do Centro Democrático (apoiado por Álvaro Uribe) e Enrique Peñalosa, do Partido Verde, cresceram nas pesquisas de intenção de voto. A maioria das pesquisas confirma que haverá segundo turno nas eleições de domingo (25).

Gustavo Petro foi eleito pelo Movimento Progressista nas eleições municipais colombianas de outubro de 2011. Ex-guerrilheiro do grupo guerrilheiro M-19, ele foi senador e é um dos maiores adversários da direita colombiana, representada ex-presidente Álvaro Uribe.

*Correspondente da Agência Brasil/EBC

Fonte: Agência Brasil EBC

Deixe uma resposta