Pra te consolar

Publicado em: 15/11/2011 às 17:50
Pra te consolar

 Por Luciane Recieri.

Era pra eu estar dormindo, mas me recuso a deitar sabendo que você sofre. Sei bem como é isso. Em matéria de amor, estar amando ou se sentir assim sei muito, posso te dizer que entendo mais de sofrer do que andar sobre duas pernas, sabe? Andar sobre duas pernas é um eterno desequilibrar-se, apesar de que amar não difere muito. Sim, sou dramática e esta é a minha natureza, não consigo ser de outra maneira do que esta de botar o coração no prato e servir quente, ainda com as mãos sujas. Não sou prática e pretendo nunca ser, pra isso inventaram as lavadoras.
Olha, a primeira vez que me apaixonei foi por um enfermeiro que amarrou meu braço com tripa de mico e tirou meu sangue e isso dói quando se tem 3 anos.
A vida foi passando, como é natural que passe, e viciei nesse negócio de amar. Tive muitos, não conseguia andar na rua sem me deter numa amostra de amor integral. Cataloguei de forma bem organizada: ele não poderia ser imperfeito e isso indica que, nunca deveria arrotar, não poderia ser fanático por nada, teria de ser básico, diplomático e não falar muito alto. Também nunca pegar na minha mão se eu não quisesse. Deveria ser inteligente ao ponto de saber nomes de rios e seus afluentes, nomes de pássaros, que trem tomar, a direção dos ventos, interpretar mapas e como acontecem os solstícios. Tinha que saber tocar instrumentos e inventar outros, nem que fosse soprar um pentinho Flamengo com celofane e tirar algo bacana de se ouvir.
Mas, eu mesma não obedecia o catálogo e me apaixonava por qualquer um que tivesse um sorriso Kollynos e uma dose boa de loucura.
Pergunta: conseguiu alguém que se encaixasse? Sim e não. Se sim, foi porque percebo todas as coisas no exato em que acontecem e isso inclui sorriso e doses de loucura; se não foi porque me perco na rapidez das coisas.
Posso te dizer que felicidade, principalmente esta quimerazinha que a gente procura no formato [ser feliz x 2 ] não existe. Deve ser tão ou mais difícil que ganhar estes prêmios acumulados na federal: uma em mais de 50 milhões e numa vida não tem como conhecer tanta gente, bom, assim disse o poetinha “a vida é pra valer e não se engane não, tem uma só”.
Então, quero que fique bem com você, só com você. Se quiser tentar, ora, tente! Quem vos consola diz toda esta pataquada, mas não se convence disso, um dia tromba com um sorriso por aí e vai se apaixonar, fará planos e pensará ter sorte suficiente pra ganhar uns dinheiros e comprar uma casa de vidro pra viver feliz (pra sempre).

 

Deixe uma resposta