Partido Trabalhista britânico recusa intervenção militar na Venezuela

Jeremy Corbyn, líder do Partido Trabalhista Britânico. Foto: Facebook

Londres, 6 Fev (Prensa Latina) O Partido Trabalhista do Reino Unido recusou hoje uma intervenção militar na Venezuela, depois da ameaça dos Estados Unidos de tentar derrubar por essa via o governo constitucional de Nicolás Maduro.

A responsável em política exterior da formação opositora, Emily Thornberry, pronunciou-se na contramão de uma eventual invasão nesse país sul-americano, durante um discurso sobre o futuro do partido.

Também defendeu a negociação e a mediação internacional para superar a crise, provocada pela autoproclamação do presidente da Assembleia Nacional em desacato, Juan Guaidó, como mandatário interino da Venezuela.

Porém, Thornberry mostrou-se em prol da posição da União Europeia, criticada por exigir eleições antecipadas na Venezuela, na contramão do chefe de Estado, eleito democraticamente em maio.

O líder dos trabalhistas, Jeremy Corbyn, expressou anteriormente que o futuro da Venezuela é um assunto para os venezuelanos.

‘O telefonema do chanceler britânico Jeremy Hunt por mais sanções é errôneo; opomos-nos à ingerência externa na Venezuela, venha dos Estados Unidos ou de outros’, escreveu Corbyn em sua conta na rede social Twitter.

O Governo da Venezuela chamou ao diálogo depois de denunciar uma tentativa de Golpe de Estado promovido por Washington, mas Guaidó recusou essa opção, que conta com o apoio de grande parte da comunidade internacional.

mem/lla/jcfl

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.