Os fornos crematórios de Tel Aviv

Publicado em: 17/07/2011 às 13:19
Os fornos crematórios de Tel Aviv

Por Laerte Braga.

A julgar por uma nota apócrifa – sem nomes, só sigla – a CONIB (CONFEDERAÇÃO ISRAELITA DO BRASIL), não resta dúvidas que se trata de mais uma entidade laranja para atuação livre e descarada da MOSSAD – Serviço Secreto de Israel – em território brasileiro.

E do conjunto de empresas do estado terrorista de Israel que começa a controlar setores estratégicos da economia brasileira, como o de armas, por exemplo.

Israel foi uma invenção das grandes potências ao final da 2ª Grande Guerra para eximir-se de culpa pelo massacre de judeus (mas de ciganos, comunistas, negros, povos de países ocupados, homossexuais também, o holocausto não é “privilégio” dos judeus) em campos de concentração nazistas e uma forma de assegurar o controle do petróleo no Oriente Médio.

Hoje é um império nazi/sionista, aterroriza a região inteira com seu poder militar, saqueia a Palestina, comete crime de genocídio contra o povo palestino e na opinião do professor e intelectual norte-americano James Petras pôs fim à soberania dos Estados Unidos.

O USA como gostam de urrar os marines espalhados pelo mundo em ações terroristas contra povos que lutam pela liberdade, não é mais um país soberano. É a opinião de Petras.

O que existe na prática é um complexo terrorista. EUA/ISRAEL TERRORISMO S/A formado a partir de bancos, grandes corporações e valendo-se de setores de países outros dóceis aos interesses desse império. No Brasil, por exemplo, os latifundiários. Também não falam, urram, grunhem. Saqueiam, matam.

E nesse complexo Israel detém o maior número de ações. Tanto da sociedade em si, como de atos terroristas.

O jornalista argentino Manuel Freytas divulgou em um site em seu país – IAR NOTÍCIAS – comentários reproduzidos mundialmente sobre as práticas terroristas do nazi/sionismo.

Os fornos crematórios de Hitler estão agora em Tel Aviv na forma de muro, de um arsenal nuclear que transforma o “país inventado” em quarta potência militar do mundo e de todo um arcabouço de bancos, empresas sob controle desses grupos.

Avançaram e dominaram os EUA. Avançam e dominam o resto do mundo. Os principais credores da Grécia na forma neoliberal de pirataria econômica são banqueiros nazi/sionistas que controlam bancos alemães e franceses (no mundo inteiro a bem da verdade).

Segundo a CONIB, em representação feita ao Ministério Público Eleitoral contra o Partido Comunista Brasileiro – PCB – a divulgação do texto do jornalista argentino configura propaganda anti semita e pede sanções, inclusive cassação do registro do Partido, por conta desse disparate calculado e pensado, parte das ações da MOSSAD no Brasil. Interferência de potência estrangeira.

Entendem os nazi/sionistas que Manuel Freytas é um “obscuro intelectual argentino” a deitar comentários anti semitas

Já a revista VEJA transformar muçulmanos em terroristas recheada de páginas de propaganda de empresas controladas por judeus/sionistas, isso pode.

O Brasil é hoje um dos alvos prioritários do estado terrorista de Israel. Tem ação livre – MOSSAD e empresas – dentro do País, conta com a cumplicidade – por omissão – do governo federal e a simpatia dos setores de extrema direita das forças armadas – a maioria, aliás. Sem falar lógico, nos banqueiros, nas grandes corporações empresariais e entre os latifundiários.

Um ataque frontal como esse ao PCB, o mais antigo partido político do Brasil, que abrigou figuras do porte de Luís Carlos Prestes, do escritor Oswald de Andrade, de Jorge Amado, Monteiro Lobato, Carlos Drumond de Andrade, o pintor Cândido Portinari, como outros e abriga o arquiteto Oscar Niemeyer, tem o viés do nazi/sionismo demonstrado com rara felicidade pelo cineasta Stanley Kulbrick no filme DOUTOR FANTÁSTICO.

O cientista “importado” pelos EUA ao fim da 2ª Grande Guerra Mundial para “ajudar” no desenvolvimento de armas atômicas. Numa cadeira de rodas o dito cujo em meio a uma crise com a União Soviética – um dos grandes filmes da história do cinema – mantém a mão direita presa ao braço da cadeira, sem conseguir evitar, no entanto, que em determinados momentos escape e faça a saudação nazista enquanto grita HEIL HITLER.

Ben Gurion, considerado um dos “fundadores” de Israel colaborou e negociou com Hitler – documentos do WIKILEAKS mostram isso, são oficiais – durante o conflito mundial. Ele e outras figuras do sionismo mundial. Foi onde adquiriram o now know necessário aos fornos crematórios de Israel, a despeito da forma diferente e sutil dos crimes que praticam mundo afora.

Existem inúmeras resoluções das Nações Unidas condenando Israel por violações de direitos humanos, por ocupação de terras palestinas, por crimes contra a humanidade e nenhuma delas é implementada pelo simples fato que os terroristas são sócios majoritários do maior arsenal nuclear do mundo, os Estados Unidos.

Uma das imposições feitas pelo governo alemão – refém de banqueiros, como qualquer governo – para a ajuda á Grécia foi exatamente exigir do governo grego que impedisse a saída da FLOTILHA DA LIBERDADE. Iria levar alimentos, remédios e roupas aos habitantes da Faixa de Gaza submetidos a um cerco desumano e covarde, típico de nazi/sionistas.

São senhores aparentemente invisíveis do mundo, mas são. Visíveis no terrorismo como forma de implantar e expandir um império moldado no sonho de Hitler.

A representação é descabida. Não tem sentido. Um eventual processo a partir de um fato assim permitirá provar a presença de agentes da MOSSAD agindo livremente no Brasil, de toda a história da barbárie nazi/sionista contra palestinos e povos árabes. Da cumplicidade com militares (traidores) em países como o Egito, Jordânia, Arábia Saudita e outros.

Os campos de concentração nos dias atuais tomam a forma de muros (contra palestinos e mexicanos). Restam presentes em Guantánamo, território ocupado de Cuba. Em cada pedaço de terra palestina roubada por nazi/sionistas. Nos assassinatos chamados de seletivos de lideranças que se opõem ao fuhrer do dia. Em cada criança, cada mulher, cada idoso, cada homem palestino sacrificado no terror dos que vivem escondidos no manto sangrento do holocausto, como se fossem os únicos a terem enfrentado a ira nazista da Alemanha de Hitler.

Não são sub-produto do III Reich. São o IV Reich.

Imagem: antihitlerismoenaccion.blogspot.com

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

4 Comentários para "Os fornos crematórios de Tel Aviv"

  1. Samuel Brito   20/03/2013 at 13:32

    Não sou judeu, mas me simpatizo com a verdade, e ela não está do lado do sr. Laerte.
    Atualmente moro em Berlin, e como bom viajador e leitor da bíblia, creio poder reconhecer a justa defesa da esclarecedora postagem de Moisés Eli Magrisso.
    Sem dúvida há muita ignorância na, igualmente justa, militância pró palestina.

    Responder
  2. moises eli magrisso   20/09/2011 at 21:03

    Preste atenção Sr. Laerte.
    Para escrever um blog ou escrever periodicamente em qualquer meio de comunicação, é absolutamente necessário, primordial e imprescindível que se tenha todos estes atributos, sem o qual jamais haverá qualidade nas publicações:

    1- RESPEITO ÀS DIFERENÇAS SOCIAIS, RELIGIOSAS, RACIAIS E DE TODAS AS ESFERAS DO PENSAMENTO.

    2- ESTAR CIENTE DE QUE NINGUEM É DONO DA VERDADE, E ACREDITAR NA POSSIBILIDADE DE QUE OUTRAS IDÉIAS E CON-CEITOS, PODEM SER MELHORES DO QUE AS NOSSAS.

    3- TER UM GRANDE CONHECIMENTO DAQUILO QUE ESTÁ PUBLICANDO, PRINCIPALMENTE NO QUE SE RELACIONA À FATOS HISTÓRICOS. QUEM NÃO CONHECE A HISTÓRIA, ESTÁ CONDE-NADO A REPETIR OS ERROS DO PASSADO.
    .
    4- ESCREVER SEMPRE COM SERENIDADE, E NUNCA COM ÓDIO NO CORAÇÃO. ESTANDO COM RAIVA, É MELHOR DEIXAR PARA ESCREVER NO DIA SEGUINTE.

    5- CONHECER AS REGRAS BÁSICAS DO BOM JORNALISMO, ALGUMAS JÁ INCLUÍDAS NOS 4 ITENS ANTERIORES.

    Primeiramente senhor Laerte, Israel não é uma invenção de países aliados, mas sim, a primeira nação que o mundo conheceu, e que esperou milhares de anos para obter a sua independência.

    Na história da humanidade, que o senhor demonstrou não conhecer, o povo judeu é o único povo do mundo que jamais invadiu a terra de ninguém, nunca conquistou territórios como por exemplo, os romanos, os árabes, os otomanos mas pelo contrário, sempre teve suas terras usurpadas, famílias inteiras brutalmente assassinadas como nos “progroms” da Russia, Lituania, Bessarábia e de muitos outros países. Praticamente tudo o que conquistou na guerra dos 6 dias por questões de segurança, devolveu em troca de paz.

    Certamente o senhor não conhece fatos históricos como a Inquisição que alguns malfeitores ainda chamam de sagrada. Provavelmente tenha também pouco conhecimento sobre o holocausto que por si só já justifica a existência do Estado de Israel.

    À propósito disto, antes que o senhor acompanhe o coro de alguns anti-semitas, de que Israel usa o holocausto para se fazer de vítima, gostaria de lembrá-lo do seguinte: Todos os museus do holocausto do mundo inteiro, o de Nova York, o de Berlim, o Yad Vashem em Jerusalem, e muitos outros, não existem apenas para mostrar os horrores da segunda guerra mundial, mas principalmente para avisar a todos os judeus do mundo inteiro, de que tudo isto pode acontecer de novo, incentivados por pessoas como o senhor que sem escrúpulo algum, espalha o ódio aos judeus nas suas crônicas da pior qualidade.

    Da onde o senhor tirou esta informação, em primeira mão e em edição extraordinária, de que Ben Gurion foi colaborador do III REICH? Acredito que os senhor está confundindo com o Papa Pio XII que foi também um dos grandes responsáveis pelo holocausto, ao ficar em silêncio sabendo de tudo o que se passava, e o pior de tudo, incentivando os seus fiéis a terem cada vez mais ódio dos judeus. O que o senhor não sabe Sr. Laerte, é que no início da administração de Adolf Hitler, antes de sua fase de insanidade, ele teve o mérito de recuperar a economia da Alemanha, e nesta fase, todos concordavam com o nazismo, inclusive o papa atual que pertencia à juventude nazista, e também muitos judeus que desconheciam o que estava por vir.

    Israel controla o maior arsenal do mundo? Sr. Laerte, quem controla o maior arsenal do mundo é a Rússia, os Estados Unidos, a França, a Inglaterra e muitos outros países, e todos eles tem o poder de destruir com o planeta.

    Qual é o problema do Brasil assinar acordo de livre comércio com Israel?
    Nosso país tem livre comércio com a China, com os países do MERCOSUL e com vários países da Europa, sendo que as importações oriundas de Israel, a maior parte está relacionada com artigos de alta tecnologia que não temos aqui, e que nos abastece de conhecimentos de primeira linha. Aviões de guerra que o Brasil pretende importar e que ainda não decidiu se vai comprar da França, Estados Unidos ou da Suécia, não consta que Israel poderá ser o fornecedor.

    O senhor se preocupa tanto com o MOSSAD, mas não se preocupa com a AL-QAEDA. Certamente deve estar muito feliz com as quase 3 mil pessoas que morreram na queda das torres gêmeas, afinal eram quase todos americanos, muitos judeus e quase nenhum de descendência árabe. Um belo motivo para o seu deleite.

    Ação humanitária por parte da Turquia? Minha mãe, meus tios e meus avós nasceram lá, nas cidades de Burgás e Istambul , e conheço muito bem este país e seu povo. Realmente são muito humanitários, mas alguém conhece algum navio turco que levou suprimentos para a Somália deflagrada pela fome e pela miséria? Se o objetivo era realmente ajuda humanitária, porque não atracaram o seu navio primeiramente no porto de Aschod para verificação da carga? Pelo visto o senhor ignora que os foguetes que são lançadas de Gaza para as escolas e creches em Israel vem de navios estrangeiros, e também por terra através do Egito.

    Grupos nazi/sionistas? O senhor está querendo misturar a água com o azeite? Os nazistas assim como o senhor, detestam os judeus, e estes pelo que sofreram no holocausto, não podem nem ouvir falar em nazistas.

    Neste momento em que estou lhe escrevendo, estou ouvindo o Roberto Carlos cantando em Jerusalem. É a consagração de um artista com alto grau de religiosidade. No mesmo lugar em que ele está cantando, todos tem acesso, tanto os israelitas, como os católicos, muçulmanos, protestantes, evangélicos e de outras religiões, mas quando o muro das lamentações que faz parte do templo de Salomão estava sob controle da Jordânia, sagrado apenas para os judeus, era utilizado como mictório, e os religiosos israelitas tinham o acesso proibido.

    Quanto ao Roberto Carlos que o senhor critica, este artista sempre se mostrou neutro, e não tinha obrigação alguma de apoiar cantores, compositores e artistas, que defendiam o comunismo, que ao invés de procurarem asilo na Rússia tão amada por eles, preferiram ficar em Londres, Paris onde desfrutavam de toda a mordomia, e de graça, pois eram sustentados pela lei do exílio. Mesmo assim, ele compôs a música, “debaixo dos caracóis de seus cabelos”, em homenagem ao exilado Caetano Veloso.

    Quanto aos papas, foram seres humanos como qualquer outro, e que ao defenderem o absurdo da “infabilidade papal”, muitos foram verdadeiros assassinos que promoveram e apoiaram a inquisição e o nazismo, causando a morte de milhões e milhões de pessoas, além de espalharem o ódio contra os judeus, protestantes, espíritas e de muitas outras religiões, em nome da crença de que são os donos da verdade. Porém o papa João Paulo II que o senhor critica, assim como João XXIII e muitos outros, eram de uma integridade indiscutível, e exemplos de como devem ser um líder religioso.

    Jerusalem, cidade palestina ocupada por Israel? Acho que está na hora do senhor viajar para esta região para ver com seus próprios olhos, e estudar um pouco de história.

    Quem fundou Jerusalem foram os judeus, e este povo vive nesta cidade há mais de 3 mil anos. Já foram expulsos várias vezes, mas sempre voltaram e viveram lá, e os palestinos que vieram muito tempo depois, também vivem a maioria na parte leste da cidade, e o tal de muro que os anti-semitas comparam com o muro de Berlim, serve apenas para controle sobre o terrorismo, mas não impedem nenhum palestino de visitar, passear ou trabalhar em qualquer bairro da cidade. Vá lá e confira. O que o senhor poderá observar, é que muitos palestinos moram em todos os bairros de Jerusalem, mas nenhum judeu israelense mora em Jerusalem leste, exceto em pequenas colônias, pois seriam assassinados em poucos dias.

    Na independência de Israel em 1948, os palestinos ganharam o seu território que hoje pertencem a maior parte à Jordânia, mas por não aceitarem a independência de Israel, retiraram a sua população para um futuro ataque com a intenção de matar todos os habitantes judeus, e tomar conta de tudo. Como a estratégia não deu certo, os que voltaram receberam sua casas de volta, (provavelmente nenhum outro país teria devolvido) e os demais, vivem até hoje às custas da ONU. O senhor sabia disso?

    Sabia também que todos os judeus dos 40 países árabes tiveram que sair destes países porque estavam sendo saqueados e assassinados? Só na cidade de Hebron, mais de 3 mil pessoas que não puderam fugir, foram mortos, famílias inteiras de todas as idades. Como é que nestes países não tem mais judeus, e em Israel tem mais de 2 milhões de palestinos? O próprio líder do Hamas, reconheceu que os palestinos em Israel quando ficam doentes, recebem o mesmo tratamento nos melhores hospitais do país. Imaginem um judeu cair num hospital em algum país árabe.

    Quanto ao poderio militar de Israel, como é que um país poderá se defender de 40 nações árabes?
    Saiba então senhor Laerte, que se um dia Israel perder uma guerra, o que lhe daria muita satisfação, cem por cento da população judaica de Israel que permanecer no país, será assassinada pelos palestinos e árabes invasores, e o pior, com requintes de crueldade, muito pior do que nos campos de concentração. E se isto acontecer, certamente será o dia mais feliz de sua vida.

    Sr Laerte, repetindo as palavras de Voltaire, EU NÃO CONCORDO COM NADA DO QUE O SENHOR ESCREVEU, (e não concordo com nada mesmo, absolutamente nada) MAS DEFENDO ATÉ A MORTE O SEU DIREITO DE DEFENDER AS SUAS IDÉIAS, mesmo sabendo que seus conhecimentos de história são medíocres, pífios, quase nada, mas, se o senhor tem dignidade, respeito e espírito de justiça, deverá ter a honestidade e hombridade de publicar em seu blog e em todos os meios de comunicação em que escreveu o seu artigo, tudo o que eu estou lhe escrevendo, e sem cortes. Por favor, não tire o direito de defesa de ninguém, e a publicação ou não deste texto que estou lhe enviando, é o fiel da balança de sua dignidade.

    MOISÉS ELI MAGRISSO – Cremers 8708

    Responder
    • Peterr   02/01/2012 at 22:10

      Senhor MOISÉS ELI MAGRISSO,

      Comentando o que o senhor disse “povo do mundo que jamais invadiu a terra de ninguém, nunca conquistou territórios como por exemplo”.. esta sua declaração também não é verdadeira.. a não ser que o Antigo Testamento Judaico seja mentiroso também…

      Responder
      • moises eli magrisso   21/03/2012 at 15:25

        No antigo testamento, a cultura da época era comum conquistas territoriais, não vamos julgar o pensamento equivocado de 2 a 4 mil anos atras.
        De Cristo para cá, não se conhece coonquistas de terras pelos judeus. Na guerra dos 6 dias, Israel recuperou o quejá lhe pertencia, e devolveu o sinai que nunca lhe pertenceu. Poderia devolver Golan, mas os Sírios não aceitam acordo de paz. Sem acordo de paz, qualquer pais nao devolveria.
        Obrigado pela participação. moises eli magrisso

        Responder

Deixe uma resposta