Ocupação na UFSM/FW recebe alimentos do campesinato

Ocupação na UFSM/FW recebe alimentos do campesinato

Por Marcos Corbari. 

Foram realizadas na última semana novas ações de solidariedade do campesinato para com os estudantes secundaristas e universitários que estão se manifestando em defesa da educação pública e contra a PEC 241/55 do governo golpista de Temer, através das ocupações dos espaços em Universidades, Escolas e Institutos.

O Movimento dos Pequenos Agricultores (MPA), apoiado por sindicatos de trabalhadores urbanos, conduziu até a ocupação realizada por estudantes no campus da UFSM em Frederico Westphalen (RS) alimentos produzidos por agricultores camponeses. O kit enviado aos alunos que ocuparam os espaços do Departamento de Ciências da Comunicação (Jornalismo e Relações Públicas) contém frutas, panificados, geleias, cereais, queijos, embutidos e sucos integrais, todos produzidos de acordo com o sistema agroecológico, sem a utilização de agrotóxicos no cultivo ou de químicos nocivos no processamento.

Juntamente com outros movimentos sociais ligados à Via Campesina, o MPA está intensificando suas ações de apoio e solidariedade aos estudantes presentes nas ocupações em todo o RS. Representantes dos coletivos de Comunicação e Juventude do MPA acompanharam a entrega e dialogaram com estudantes e professores na UFSM/FW. “Estamos fazendo a nossa parte para ajudar esse movimento legítimo de contestação que está sendo realizado por jovens que cada dia demonstram maior consciência crítica frente aos riscos reais que setores como a educação, a saúde e a seguridade social estão submetidos”, explicou a jovem Fabiane Bertoldo, militante da juventude camponesa. “A luta por nenhum direito a menos é conjunta, reúne o campo e a cidade através de um objetivo comum”, acrescentou.

Conforme destacaram representantes dos estudantes presentes na ocupação, o alimento doado vem representar muito mais do que subsistência para os participantes da ação, e sim a construção de um ato político conjunto, estabelecendo elos de solidariedade na nova configuração que a luta de classes está alcançando no Brasil. “Enquanto estudantes dependentes do sistema público de educação, ficamos muito felizes com as doações porque deixar de preocupar-nos com a alimentação nos ajuda a concentrar nosso esforço e tempo com o que é mais importante agora: nossa formação política para, juntos e juntas, conseguirmos fazer enfrentamento à PEC da morte e, é claro, incentivar o consumo de alimentos oriundos do campesinato”, foi destacado através de nota emitida pelo coletivo responsável pela comunicação do grupo de estudantes.

A ocupação dos alunos dos cursos de Jornalismo e Relações Públicas é a primeira ação direta de intervenção desenvolvida no âmbito do movimento estudantil nos 10 anos de existência do campus de Frederico Westphalen da UFSM. Assim como em todas as ocupações realizadas pelo país afora, não há previsão de datas para encerramento da ação em Frederico Westphalen, ficando condicionada à derrubada da PEC 241/55 pelo Senado ou a sua retirada de pauta pelo governo golpista.

Fonte: MPA. 

Você precisa estar logado para postar um comentário Login