Núcleo da Auditoria Cidadã da Dívida em SC promove congresso estadual em agosto na UFSC

O Núcleo da Auditoria Cidadã da Dívida em Santa Catarina promove, nos dias 9 e 10 de agosto, no Auditório da Reitoria da Universidade Federal de Santa Catarina, o III Congresso Estadual com o tema “O Papel da Dívida Pública no Sistema Político Brasileiro”. O evento terá a participação da Coordenadora Nacional da Auditoria Cidadã da Dívida, Maria Lucia Fattorelli, do professor e presidente do IELA/UFSC, Nildo Ouriques, do coordenador do Núcleo carioca da ACD e servidor do IBGE, Paulo Lindsay, e do economista e professor da UFSC e UNIVALI, Daniel Corrêa. Inscrições online: http://bit.ly/2KTDzJ4

Histórico

A Auditoria Cidadã da Dívida é uma organização aberta que discute a questão do endividamento público e os mecanismos criados de forma a sequestrar os recursos públicos sem contrapartida em políticas de investimento.

As atividades da Auditoria Cidadã da Dívida se iniciaram logo após o Plebiscito Popular da Dívida Externa, realizado no Brasil em setembro do ano 2000, em 3.444 municípios do país, organizado por diversas entidades da sociedade civil brasileira, especialmente pela Campanha Jubileu Sul. Naquela ocasião, 6.030.329 cidadãos participaram do Plebiscito, sendo que mais de 95% votaram NÃO à manutenção do Acordo com o FMI; NÃO à continuidade do pagamento da dívida externa sem a realização da auditoria prevista na Constituição Federal, e NÃO à destinação de grande parte dos recursos orçamentários aos especuladores. Ressaltamos que a auditoria da dívida está prevista na Constituição Federal – artigo 26 do ADCT – até hoje não cumprido.

Em respeito à Constituição Federal e ao voto dos milhões de cidadãos que participaram do Plebiscito, a Auditoria Cidadã da Dívida vem realizando, desde 2001, estudos, publicações, eventos, além de atividades para a mobilização de entidades da sociedade civil nacional e internacional.

Em Santa Catarina, o Núcleo da Auditoria Cidadã da Dívida já conta com mais de 6 anos de atividade junto aos movimentos sociais, sindicatos, escolas, conselhos e coletivos populares.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.