Mulheres relatam homofobia no parque Hopi Hari: “Apanhou por parecer homem”

Um dos socos atingiu Mayara Mahmad, 26, que estava no grupo de cinco amigas
Imagem: Reprodução/Instagram

Da reportagem de Marcos Candido no Universa do UOL.

A fotógrafa Gabrielle Amato, 26, havia reservado o último domingo para se divertir no parque de diversões Hopi Hari, em Vinhedo, a cerca de 80 km de São Paulo. Três amigas e a esposa acompanharam ela no passeio. Elas aguardavam na fila da montanha-russa quando um grupo de homens começou a insultá-las e dando início a uma confusão, segundo relato da fotógrafa.

Uma das amigas recebeu um soco no rosto. “Esse rapaz gritou que deu um soco por ter achado que minha amiga se parecia com um homem, e que ela deveria apanhar por isso. Aí, começou a nos xingar de sapatão”, diz. Nesta segunda, as amigas fizeram exame de corpo de delito no Instituto Médico Legal (IML), em Osasco. Antes, registraram um boletim de ocorrência por lesão corporal e crime homofobia.

De acordo com Gabrielle, as agressões começaram quando o grupo decidia quem iria primeiro na montanha-russa, birncando de “jokenpô”. Dois homens que estavam na fila entenderam que elas estavam zombando deles. Em troca, eles teriam citado o nome do presidente Jair Bolsonaro para intimidá-las. Logo após, começou o bate-boca.

(…)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.