Monte Cristo e a luta por moradia em Florianópolis

Foto: Rubens Lopes

Por Míriam Santini de Abreu, para Desacato.info.

O incêndio e posterior desabamento do Edifício Wilton Paes de Almeida, no centro de São Paulo, provocou farta cobertura jornalística, mas uma fatia pequena tocou no ponto central: a forte especulação imobiliária no país associada ao corte de verbas de programas sociais. Apesar de previsto na Constituição, o direito à moradia é letra morta em uma realidade na qual a casa virou mercadoria, e adquiri-la, nas capitais e grandes e médias cidades, significa investimento que uma vida inteira de trabalho muitas vezes não paga.

Em 2016, o jornalista Rubens Lopes e eu fizemos um conjunto de 11 entrevistas com pessoas que, nos anos 1980 e 90, estiveram à frente da luta por moradia em Florianópolis, consolidando as primeiras ocupações organizadas na capital catarinense, em especial no bairro Monte Cristo. Na realização daquele projeto de extensão universitária, chamado de “Escritos em Movimento”, foi possível, pelas entrevistas, ter indícios de um fenômeno que revela a crueza da especulação imobiliária: os filhos daqueles primeiros ocupantes, passados quase 30 anos, não conseguiram ou tiveram muita dificuldade para adquirir moradia.

O resultado deste processo veio à tona no final de abril, quando famílias ocuparam um terreno no mesmo bairro Monte Cristo, originando a Ocupação Fabiano de Cristo. Elas não deram conta de pagar o aluguel na vizinhança da área que agora as abriga. Há casos de pessoas com renda de 1 salário mínimo que abriam mão de 700,00 reais ao mês por uma garagem com banheiro. Isso significa ter um teto ou comer. Impossível dar conta de ambos.

Agora, na ocupação, são ricas as experiências de refeição coletiva, cuidado comum em relação às crianças e partilha de doações. A Prefeitura de Florianópolis há mais de 10 anos ficou de construir casas na área, mas a promessa nunca saiu do papel. Para isso acontecer, já sabem os movimentos pró-moradia, não adianta esperar. As experiências dos anos 1990 mostraram: só a luta muda a vida!

Míriam Santini de AbreuMíriam Santini de Abreu é jornalista em Florianópolis.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.