Migração do Leste Europeu para Alemanha é menor que esperado

Um número muito menor do que o esperado de trabalhadores do Leste da Europa se mudaram para a Alemanha, desde que o mercado de trabalho foi aberto para os Estados ex-comunistas quase um ano atrás, disse o diretor do Escritório do Trabalho da Alemanha neste sábado.

A maior economia da Europa estava se preparado para um forte aumento no número de migrantes desde que as restrições do mercado de trabalho foram suspensas no ano passado, mas a necessidade de aprender alemão, e a abertura alemã a migrantes de outros países da UE, diminuiu o desejo de trabalhadores estrangeiros de mudar para o país.

“Como resultado da livre circulação de trabalhadores, cerca de 63 mil pessoas vieram destes países para trabalhar na Alemanha”, Frank-Juergen Weise, diretor do Escritório do Trabalho da Alemanha, ao jornal Rheinische Post Told.

Um ano atrás, seu escritório esperava a entrada de cerca de 140 mil pessoas por ano. Weise disse que a Grã-Bretanha e Irlanda abriram seus mercados de trabalho mais cedo do que a Alemanha, então muitos trabalhadores se estabeleceram naqueles países. Além disso, muitos acham mais fácil aprender inglês do que alemão.

Depois de uma isenção de sete anos para as regras da UE relativas à livre circulação de trabalhadores dos ex-Estados comunistas, que se juntaram ao bloco em 2004, a Alemanha abriu seu mercado para países como Polônia, Hungria e Estados Bálticos em maio do ano passado. O país era tido como um destino atraente uma vez que sua taxa de desemprego continua batendo recordes de baixa e é muito inferior às taxas de outros países da maioria dos membros da UE.

A Alemanha tem visto um afluxo de trabalhadores de países mais ao sul atingidos pela crise na zona do euro nos últimos meses. Cerca de 67% daqueles que migraram do leste da Europa são da Polônia, aproximadamente 13% da Hungria e 7% da República Checa, disse Weise.

Setores populares entre os migrantes incluem os de construção e manufatura.

 Fonte: Terra

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here