Mélenchon: “Cada um e cada uma, em consciência, sabe qual é o seu dever”

“Podemos ter orgulho naquilo que realizámos e fizemos. Somos uma força consciente e entusiasta. Apelo-vos para que se mantenham em grupo e sejam um movimento porque os desafios que temos de enfrentar continuam a existir”, afirmou Jean-Luc Mélenchon.

“Cada um de vós, cada uma de vós sabe qual é o seu dever”, destacou o candidato da França Insubmissa, sublinhando não ter recebido “nenhum mandato” das 450 mil pessoas que decidiram apresentar a sua candidatura para se manifestar, “em vez deles, sobre o que acontecerá a seguir”.

“Serão eles a pronunciar-se sobre esta plataforma e o resultado da sua expressão será tornado público”, acrescentou.

“Nas próximas horas, nos próximos dias, temos de respeitar o nosso caráter, a nossa consciência”, continuou Mélenchon.

“São os vossos bonitos sorrisos, os vossos olhos que brilham, as vossas canções, o vosso amor pelo amanhã. Aqui está ele, o novo dia nasce. Caberá a vós, jovens, retomar a tarefa e levar a cabo o objetivos do movimento”, afirmou o candidato.

“Vamos, somos a França insubmissa, agora e para sempre!”, exortou o candidato, terminando: “Liberdade, Igualdade, Fraternidade. Viva a República, viva a França!”.

Macron e Le Pen na segunda volta

Perto de 47 milhões de eleitores foram chamados a votar neste domingo, na primeira volta das eleições presidenciais francesas. Na França continental, 66.546 assembleias de voto abriram às 8 horas e encerraram às 19 horas, uma hora mais tarde do que nas eleições presidenciais anteriores. Em algumas cidades, as urnas só encerraram às 20 horas.

Com 85% dos votos já contabilizados, e segundo os resultados parciais anunciados pelo ministério do Interior francês, o liberal Emmanuel Macron obtém 23,36% dos votos e a candidata da extrema-direita, Marine Le Pen, 22,42%.

O conservador François Fillon reúne 19,80% dos votos e Jean-Luc Mélenchon 19,18%, mais oito pontos percentuais face a 2012. O resultado do candidato da França Insubmissa coloca-o numa posição preponderante na recomposição da esquerda. O candidato oficial do PS, apoiado pela EELV, Benoît Hamon fica-se pelos 6,13%.

Quando as sondagens antecipavam uma abstenção recorde, a taxa de participação é estimada em 78 a 81%.

Artigos relacionados:

 

Foto de capa: Jean-Luc Mélenchon, candidato da França Insubmissa. EPA/CHRISTOPHE PETIT TESSON.

Fonte: Esquerda.net.

Você precisa estar logado para postar um comentário Login