Maior exportação de cannabis medicinal da história do Uruguai seguirá para Israel

Cannabis medicinal da empresa uruguaia Fotmer (Divulgação)

Por Caroline Coelho, especial para a Fórum.

O Uruguai acaba de concretizar uma negociação sem precedentes. A exportação de quase duas toneladas de cannabis 100% medicinal para Israel recebeu a autorização do Ministério de Saúde Pública (MSP) do país vizinho na tarde desta sexta-feira (18). A empresa Fotmer Life Sciences aguardava uma resposta do MSP desde dezembro de 2019 e aponta a transação como a maior exportação de flores de cannabis medicinal do mundo. Os empresários uruguaios comemoraram a notícia. “Essa é a maior exportação de Cannabis Medicinal da história, o Uruguai se tornou, definitivamente, um dos principais players da indústria de cannabis”, afirmou Marco Algorta, presidente da Câmara de Cannabis Medicinal do Uruguai.

A carga de 1.760 quilos de flores, com altos níveis de THC, representa cerca de 2,5 milhões de dólares em entradas de divisas para o Uruguai e ainda precisa de autorizações sanitárias dos dois países para sair de Montevidéu. No início do mês de agosto, o presidente do Uruguai, Luis Lacalle Pou, assinou uma série de decretos para liberar a exportação de produções de 2018, 2019 e 2020.

Ao anunciar os decretos, Lacalle Pou declarou publicamente o apoio às políticas públicas de cannabis medicinal. “É um medicamento recomendado mundialmente e já é utilizado para determinadas terapias e o Uruguai será a vanguarda”.  A declaração do presidente sinaliza a superação da polarização do debate sobre o uso medicinal da cannabis no país. O tratamento do assunto como política de Estado é o símbolo da continuidade do direitista Lacalle Pou a um legado do governo Pepe Mujica.

A negociação inédita do país vizinho foi concretizada depois de uma reunião do presidente Lacalle Pou com o embaixador de Israel no Uruguai e Paraguai, Yoed Magen. Em seu twitter, o embaixador comentou a reunião e celebrou a transação “Muito boa a reunião de trabalho com o presidente Luis Lacalle Pou onde conversamos sobre a nossa agenda bilateral, obrigada presidente por sua amizade com Israel”, concluiu. O embaixador israelense já havia se reunido em 2019 com o então recém eleito Lacalle Pou e manifestado o interesse do seu país em ampliar o comércio bilateral e também com o Mercosul em matéria de produtos e serviços.

 

Elo entre a Frente e os movimentos sociais é decisivo para chegar ao 2º turno

Elo entre a Frente e os movimentos sociais é decisivo para chegar ao 2º turnoLeitores e leitoras do Portal Desacato e audiência do JTT Agora, bom dia.A quarta-feira, 16 de setembro, foi uma festa para as legendas de esquerda e os movimentos sociais que as apoiam em Florianópolis. Essa alegria, seguida de militância diária e a clareza do cometido de todas as partes, deve continuar para garantir a passagem ao segundo turno da eleição municipal. Para tanto é necessário que o Conselho Político da Frente escute, inclua e atue em consequência com a importância dos movimentos sociais que já expressaram com fatos a vontade de participar intensamente do processo eleitoral. É legítimo que os partidos devidamente registrados, e com esse cometido funcional, tomem decisões a respeito do programa. Parece verdadeiro que os movimentos sociais e as correntes que apoiam a frente foram vitoriosos e diretos responsáveis pela unidade dessa frente. Sendo assim os movimentos devem ser integrados aos debates programáticos e de organização da mobilização com rumo à conquista do 2º turno. Quando as conversas e os debates para consolidar a unidade da frente ganharam espaço público facilitaram a reflexão, a compreensão geral e a construção da ferramenta que agora todas e todos os eleitores da esquerda possuem. O tempo é curto, mas não existe um argumento plausível para que uma possível centralização excessiva dos debates sobre programa deixe de lado a participação dos movimentos. O interesse dos movimentos sociais de participar diretamente neste momento especial da política florianopolitana, único em nível nacional, foi declarado através de mais de uma dezena de documentos que convocaram à unidade da Frente. Alguns dirigentes partidários já se expressaram com relação à importância da boa interferência dos movimentos nesta hora. Num processo eleitoral tão curto, levar em conta a observação dos militantes sociais, que têm conhecimento direto das necessidades comunitárias e dos diversos setores que compõem o conjunto social, é de muita importância. Em um prazo tão curto de campanha a participação ativa e esclarecida dos movimentos sociais conseguirá aumentar consideravelmente a capilaridade e melhorar a comunicabilidade da Frente nos espaços onde a luta e a resistência social acontecem. O elo entre o Conselho Político da Frente Democrática e Popular, a militância partidária e os movimentos sociais e setoriais precisa acontecer e fluir de forma dinâmica, constante e de forma transversal. Não há espaço para imposições verticais e vaidades. Todos e todas são importantes nesta luta intensa para retirar do paço municipal as forças conservadoras de Florianópolis. Do mesmo jeito, a relação firme entre a Frente e os Movimentos Sociais é decisiva para aumentar exponencialmente a presença dos partidos de esquerda na Câmara Municipal de Florianópolis. Foram construídas as condições necessárias para a unidade da Frente, precisam se criar as condições definitivas para chegar ao segundo turno.#Editorial #NossaOpinião #Desacato13Anos

Posted by Desacato on Sunday, September 20, 2020

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.