Lançado oficialmente o Mutirão da Esperança Camponesa

Por Marcos Corbari. 

“Quem alimenta o Brasil exige respeito” é o lema da atividade que leva o MPA a debater com todas as instâncias de sua base.

 cor

Trata-se de uma grande ação coletiva, empreendida pelo Movimento dos Pequenos Agricultores (MPA) para refletir e propor mobilização junto às suas bases em todo o país. A ação de âmbito nacional empreendida pelo grupamento coletivo que se caracteriza como um movimento social de massa, chama-se “Mutirão da Solidariedade Camponesa” e traz consigo o lema “Quem alimenta o Brasil exige respeito”. O mote central da atividade está justamente no fato de a classe camponesa estar sendo uma das mais prejudicadas pela redução de direitos empreendida pelo Governo federal em suas reformas, desconsiderando o fato de ser pela mão do camponês que chega até as mesas das famílias brasileiras mais de 70% do alimento produzido.

O ponto de partida do mutirão que promete se estender até os 17 estados onde o MPA está organizado é a região norte do RS, onde o coletivo camponês surgiu há cerca de 20 anos. Embora a atividade já venha sendo debatida há pelo menos 30 dias, foi no domingo (29) que teve seu lançamento oficializado, durante a Festa da Semente Crioula, realizada em Seberi. Frei Sergio Goergen, dirigente nacional do movimento, fez a apresentação do mutirão aos presentes e já demarcou o início das atividades para a segunda semana de fevereiro, no município de Cristal do Sul. Na região estima-se que a atividade demore cerca de 90 dias para ser desenvolvida em todos os municípios onde está presente, enquanto em nível nacional ela vai se estender até o final de 2017. Segundo o militante, todas as comunidades onde estão presentes as bases do campesinato serão visitadas pelos grupos de mobilização, que ali ficarão por pelo menos três dias promovendo a partilha de saberes, oferecendo orientações técnicas, atividades de integração, agitação e propaganda, bem como debatendo a conjuntura atual especialmente no que se refere às políticas sociais e econômicas promovidas pelas diversas instâncias de governo.

Trata-se de um mutirão em defesa da vida, em defesa do alimento saudável, em defesa da dignidade de quem produz -, destacou Goergen. Pautas como a seguridade social e a reforma da previdência estarão em destaque entre os debates propostos, mas aspectos produtivos como a bandeira da agroecologia e a promoção dos cultivos sem a utilização de venenos ou adubos químicos também tem garantia de espaço nas prosas. “Hoje nosso direito de produzir alimentos está sendo ameaçado e em resposta a isso reforçamos nosso movimento pela implantação do Programa Camponês, uma política de Estado, estruturante da produção e da vida camponesa, bem como pela construção de uma aliança camponesa e operária por soberania alimentar”, destacou.

Mais informações sobre o MPA e sobre o Mutirão da Esperança Camponesa podem ser obtidas através dos canais de comunicação do MPA, pelo email ([email protected]), site (www.mpabrasil.org.br) ou Facebook (mpacampesinato).

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.