Julgamento da chapa Dilma-Temer tem empate em 3 votos a 3

Publicado em: 09/06/2017 às 20:09
Plenário do TSE, no quarto dia de julgamento da ação que pede a cassação da chapa Dilma-Temer nas eleições de 2014 (Foto: Roberto Jayme/Ascom/TSE)
Plenário do TSE, no quarto dia de julgamento da ação que pede a cassação da chapa Dilma-Temer nas eleições de 2014 (Foto: Roberto Jayme/Ascom/TSE)

Rosa Weber já adiantou o seu voto, acompanhando o relator, favorável à cassação. O presidente do tribunal, Gilmar Mendes, será o último a se posicionar

Caberá ao presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Gilmar Mendes, a decisão sobre o pedido de cassação da chapa Dilma-Temer, vencedora das eleições presidenciais de 2014. Seis ministros já votaram, três contra e três favoráveis à cassação, por abuso de poder econômico.

Acompanharam o relator, Herman Benjamin, os ministros Luiz Fux e Rosa Weber, que chamou o voto de “histórico”. Napoleão Nunes Maia, Admar Gonzaga  e Tarcísio Vieira votaram contra a cassação.

Benjamin votou pela cassação da chapa por abuso de poder político e econômico pelo recebimento de propina para financiar parte da campanha. Ele ponderou, no entanto, que os crimes atribuídos à chapa vencedora também foram praticados por outros partidos.

O pedido de cassação foi feito pelo PSDB, pouco depois das eleições de 2014, quando o candidato Aécio Neves perdeu para Dilma Rousseff (PT). O TSE passou a analisar  suspeitas de irregularidade nos repasses a gráficas que prestaram serviços à campanha eleitoral de Dilma e Temer. Recentemente, Benjamin decidiu incluir no processo o depoimento dos delatores ligados à empreiteira Odebrecht investigados na Operação Lava Jato. Os delatores relataram que fizeram repasses ilegais para a campanha presidencial.

Em dezembro de 2014, as contas da campanha da então presidenta Dilma Rousseff e de seu vice, Michel Temer, foram aprovadas com ressalvas e por unanimidade no TSE. No entanto, o processo foi reaberto porque o PSDB questionou a aprovação. Segundo entendimento do TSE, a prestação contábil da presidente e do vice-presidente é julgada em conjunto.

Em diálogos noticiados recentemente, Aécio Neves diz ter acionado a chapa no TSE “só para encher o saco do PT”.

Assista o julgamento ao vivo:

Fonte: Rede Brasil Atual.

Deixe uma resposta