Irresponsabilidade da prefeitura deixa escolas sem telefones e sem condições mínimas de funcionamento

Publicado em: 27/06/2017 às 12:05
Irresponsabilidade da prefeitura deixa escolas sem telefones e sem condições mínimas de funcionamento

Esta semana começou nas escolas com mais um problema causado pela má gestão da prefeitura: por problemas de pagamento, os telefones de diversas unidades foram cortados. A situação é inaceitável: professores e direção não tem como se comunicar com mães e pais – nem em caso de urgências – nem com outros órgãos. Trata-se de mais um demonstrativo do descaso do prefeito Gean Loureiro (PMDB) com o serviço público, deixando-o cada vez mais sem condições, prejudicando seu funcionamento, o trabalho dos servidores e o atendimento da população!

Nas unidades da educação, a situação é grave: além dos telefones cortados, estão faltando estrutura adequada, materiais de ensino e até comida, com merenda escolar insuficiente. A situação dos telefones atualmente escancara a incompetência da gestão atual e da anterior, de César Souza Júnior (PSD). Com pagamentos em atraso e gestores tentando fugir da responsabilidade, os telefones de vários setores já foram cortados, como dos servidores do conselho tutelar e da secretaria municipal da educação. Estes problemas, no entanto, não são apenas por incompetência: fazem parte do projeto privatista dos ricos e seus políticos.

A falta de materiais e condições mínimas para trabalho e atendimento no serviço público não é acaso. Precarizar e inviabilizar o serviço público enquanto mandam dinheiro para empresas privadas são estratégias manjadas dos políticos que servem aos ricos, querendo entregar tudo ao privado e acabar com o público, não ligando para os efeitos nefastos que isto vai gerar sobre a população. Assim, é necessário denunciar e combater todas as formas de precarização do serviço público, garantindo que as verbas sejam bem utilizadas e que os interesses da população sejam protegidos! Dinheiro público é para o serviço público!

Fonte: Sintrasem.

Deixe uma resposta