Drones vão auxiliar na segurança feita por 1.300 câmeras de monitoramento na UFSC

Assaltos à mão armada e abordagens durante o dia em pontos de ônibus e nos estacionamentos são as principais reclamações de estudantes quando o assunto é segurança no campus da UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina) em Florianópolis. Conforme uma enquete do Blog do Quatro, do curso de jornalismo, 87,9% das 66 pessoas ouvidas disseram que já foram assaltadas no campus. Para melhorar a segurança, nos últimos anos a universidade adotou mais rigor para liberar festas no campus e instalou portões em todos os acessos, que ficam fechados à noite e nos fins de semana, e passou a investir em tecnologia. Além de câmeras de monitoramento, a universidade conta agora com dois drones.

Os equipamentos, modelo Phantom 3, foram apreendidos pela Receita Federal e doados à UFSC. Uma equipe está sendo capacitada pela Secretaria de Segurança Institucional da universidade para operar os drones, que começam a ser utilizados para captar imagens aéreas em todo terreno de 1.140.000 m² do campus. “Os drones aumentam a sensação de segurança. A qualidade das imagens, das filmagens, é muito boa. Conseguimos ter uma ampliação da área a ser feita a segurança”, disse Leandro Luiz de Oliveira, diretor da Secretaria de Segurança Institucional, à RICTV Record.

Os drones vão auxiliar no trabalho que é feito hoje por 1.300 câmeras. A sala de monitoramento, em Florianópolis, acompanha 4.500 salas em todos os campi da universidade. “A UFSC investiu nos últimos anos em tecnologia e continua investindo. Este ano foram adquiridas mais de 100 câmeras com qualidade de imagem melhorada. São câmeras IP, com imagens que vão direto para a internet. Elas estão sendo instaladas e vão aumentar a capacidade de operação”, informou.

A universidade também reforçou a equipe do monitoramento, o que melhora a solução de casos ocorridos no campus. “Aumentamos o número de pessoas e a resolução de algumas ocorrências, algumas em tempo real e algumas que servem de subsídio para investigações das polícias Civil e Federal”, disse.

De casa, pais vão monitorar filhos

Além dos drones, a UFSC prepara um outro equipamento para melhorar a segurança no Campus. Leandro Luiz de Oliveira o chama de Rota Segura, mas ainda não é o nome oficial. “Vai permitir a pais de alunos visualizar de casa as imagens dos filhos na universidade. São de 15 a 19 câmeras. Já temos o roteiro. Com o ID UFSC [sistema de autenticação] o aluno ou o pai poderá visualizar a imagem em tempo real de determinadas câmeras. A UFSC tem um parque de 1.300 câmeras. O Rota Segura aumentará a sensação de segurança, pois nosso objetivo é que aumente o número de pessoas visualizando esse equipamento”, disse.

Fonte: ND ONLINE

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.