Dia 12 de agosto, luta contra a violência no campo

Por Luciane Recieri.

Margarida-funcionária. Margarida-do-Campo. Margarida-de-árvore. Da floresta. Na cidade, as que varrem rua. Inflorescência comum é flor de vala. Rasa. Simples. Não! É composta de tantas saias, de tantas outras mulheres-margaridas. Bem-te-querem os gentios. Mal-te-querem os poderosos que anulam primaveras, feito vento, coisa que não se prende, decepam flores, margaridas-menores.

De Luciane  para Margarida e às mulheres que lutam.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.