Desmatamento na Amazônia cresce mais de 200% em outubro

Segundo o Imazon, satélite detectou 583 quilômetros quadrados de destruição na Amazônia Legal em outubro passado.

Foto: Kate Evans/Cifor/Creative Commons/Flickr

O índice de desmatamento na Amazônia Legal cresceu 212% no mês de outubro, na comparação com o mesmo período do ano passado, indicando a manutenção da tendência de alta nas taxas de devastação da floresta.

O número está em um relatório divulgado nesta terça-feira (03/12) pelo Instituto do Homem e do Meio Ambiente da Amazônia (Imazon), ONG sediada em Belém (PA) e que fornece indicadores mensais de desmatamento.

Segundo o Imazon, o Sistema de Alerta de Desmatamento (SAD), ferramenta de monitoramento baseada em imagens de satélites e criada em 2008, detectou 583 quilômetros quadrados de destruição na Amazônia Legal em outubro passado.

Isso representa uma alta de 212% em relação ao mesmo mês de 2018, quando o índice havia sido de 187 quilômetros quadrados. A derrubada da floresta se concentrou sobretudo no Pará (59%), seguido por Mato Grosso (14%), Rondônia (10%), Amazonas (8%), Acre (6%), Roraima (2%) e Amapá (1%).

Já a degradação na Amazônia, que mede o “distúrbio parcial provocado pela extração de madeira ou por incêndios”, totalizou 618 quilômetros quadrados em outubro, crescimento de 394% em relação ao mesmo período de 2018. A degradação ocorreu majoritariamente no Mato Grosso (74%), mas também apareceu no Pará (17%), em Rondônia (7%), no Amazonas (1%) e em Tocantins (1%).

As taxas de desmatamento medidas pelo Imazon registram altas seguidas desde julho, mas o crescimento de outubro é o maior do ano até aqui em termos proporcionais. No acumulado dos 10 primeiros meses de 2019, o índice de destruição é de 5,6 mil quilômetros quadrados, crescimento de 24% em relação ao mesmo período de 2018.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.