Crianças adeptas de religiões afro-brasileiras sofrem bullying

afro

Por Anelize Moreira

O preconceito contra alunos candomblecistas e umbandistas em escolas públicas e particulares de todo o país tem crescido e preocupados entidades religiosas e especialistas que estudam a temática no país.

De acordo com Pai Guimarães, presidente da Associação Brasileira dos Templos de Umbanda e Candomblé a entidade recebe diariamente pelo menos quatro pedidos de orientação por conta de discriminações em escolas e ambiente de trabalho.

Escute a reportagem:

Fonte: Rede Brasil Atual 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.