Concurso para professor universitário: como se preparar

concurso-para-professorPor Julio Montex.

Se você almeja prestar concurso para professor em uma universidade pública, antecipo: não é fácil! Passar por essa seleção exige equilíbrio mental e muita preparação, inclusive física – acredite! Mas vale muito a pena! Por isso gostaria de compartilhar minha experiência, para ajudar futuros colegas nessa jornada.

Pressuponho que boa parte das pessoas que estão lendo este post já está inscrita em um concurso para professor efetivo ou temporário de uma universidade, instituto ou faculdade ou querendo se preparar para tal. Se é o seu caso, provavelmente você já está nesse barco há um tempo e já sentiu na pele as dificuldades das etapas preliminares (obter as titulações, publicações, lidar com os egos dos professores etc.). Contudo, se chegou até aqui, não é o momento de abandonar o plano ou chorar as pitangas.

Portanto, esse post é dedicado para você que quer ser aprovado! Recentemente fui aprovado em um concurso para professor adjunto e achei por bem reunir em um post e em dois conteúdos ricos algumas informações que podem ser importantes para a sua prova.

A primeira questão à qual você deve ficar atento diz respeito ao instrumento que regulamenta o concurso, o edital.

1. EDITAL DE UM CONCURSO PARA PROFESSOR UNIVERSITÁRIO

Dois concursos para a mesma vaga em universidades federais vizinhas podem ter editais completamente diferentes. Portanto, estude a fundo o edital, como se ele fizesse parte da prova (li essa dica em um blog enquanto me preparava para a prova e isso me ajudou muito).

1.1. O que é necessário?

Verifique todos os pontos: precisa Plano de Ensino? Plano de Aula? Memorial Descritivo?Plano de Atividades Acadêmicas? Qual é o tempo mínimo e o máximo para a prova didática? Como o currículo lattes deve ser comprovado, em que ordem? Em que momento ele deve ser entregue? Em quais situações o candidato é eliminado? Enfim, preste atenção a tudo isso e tenha essas informações na ponta da língua. Conversar com professores que foram aprovados em concursos desta universidade ou de outras também ajuda, mas seja cauteloso, pois o que valeu para o concurso dele não necessariamente valerá para o seu.

1.2. Cronograma

Muitos editais permitem que a banca publique ou altere o cronograma de provas após as inscrições. Ele pode, inclusive, ser alterado mais de uma vez durante as provas. Para não perder nenhum prazo, revise toda a documentação antes de o concurso começar e separe um período elástico para a realização das provas. Evite compromissos inadiáveis entre elas e também nos primeiros dias após o período previsto para o término do concurso.

1.3. Memorize e verifique constantemente

Aconselho que você invista na visualização dos itens importantes. A dica é criar um painel visual com as principais informações do concurso na sua sala de estudos (temas, requisitos, horários, peso e formato das provas).

2. PROVA ESCRITA:

Normalmente a prova escrita é eliminatória e a primeira de uma bateria de exames. Acredite, muita gente vai completamente despreparada. Portanto, se você estudar sério, corre o risco de fazer as demais provas com poucos concorrentes ou até mesmo sozinho. Os que não podem parar de trabalhar para se dedicar apenas à preparação para o concurso, terão de estudar de forma paralela às atividades de rotina. Portanto, haverá uma dificuldade adicional: o tempo, mas não é impossível.

2.1. Formato da prova escrita

Verifique o formato da prova. Normalmente elas são discursivas e sem limite de laudas. Ou seja, neste formato espera-se que você apresente de forma coesa e ampla, porém não tão extensa (sugiro que use duas ou três faces do papel)  o conhecimento que tem sobre o assunto.

2.2. Como estudar

Cada pessoa tem sua forma de estudar. Se você não sabe por onde começar, eu sugiro: escreva! Faça resumos das coisas, anotações, esquemas etc., preferencialmente de forma manuscrita. Nada de resumos no computador. Painéis visuais com o conteúdo também ajudam.

O edital do concurso no qual fui aprovado informava que a prova tinha quatro horas de duração e duas questões discursivas a serem respondidas. Como um dos meus pontos fracos sempre foi escrever devagar, elaborei, para cada item do edital de duas a três perguntas abrangentes e elaborei as respostas marcando o tempo. A meta era sintetizar um assunto amplo de forma a respondê-lo em menos de 1h40min. Enquanto não cravava esse tempo, não parava de refazer a questão. Embora a questão real da prova possa ser diferente, o exercício é super válido. Além de estar mais afiado para construir um texto coeso em menor tempo, você saberá quais conteúdos precisa estudar mais. Na hora da prova, você certamente lembrará de parágrafos que já estarão pré-formatados em sua mente e eles ajudarão a incrementar sua resposta. Além disso, ficará mais fácil administrar o tempo, pois você conhecerá bem a velocidade da sua escrita.

2.3. Conteúdo

Estude bem todos os itens mencionados no edital. Conheça aspectos históricos, conceituais, técnicos, exemplos práticos ou acadêmicos sobre os temas. Alguns professores valorizam citações e referências bibliográficas, faça uma lista com uma ou duas citações para cada tópico e tente memorizar.

Procure saber mais sobre a banca. Se perceber que é uma banca mais técnica, por exemplo, enfatize tais aspectos, mas envolva todos os itens supracitados. Também confira linhas de pesquisa, projetos e leia alguns dos trabalhos publicados por eles. Tente entender as opiniões dos seus avaliadores.

3. PROVA DIDÁTICA

3.1. “Vá para o concurso com tudo pronto”

Li essa dica em outro blog e não cheguei a levar ao pé da letra, mas sugiro preparação extrema também para a prova didática. Por exemplo, se forem diferentes disciplinas, não espere o sorteio. Prepare os planos de ensino para cada disciplina; crie os templates e slides coringas (aqueles que cabem em qualquer aula de determinada disciplina e que você domina); e selecione exercícios e textos para sugerir ao final da aula como material complementar. Evite improvisar e dê atenção especial aos temas que você tem maior dificuldade. Após o sorteio do tema aproveite para adicionar e aprofundar o conteúdo.

3.2. Slides

Sugiro dividir a apresentação em partes:

Parte 1 (máximo 15% do tempo total da aula):
– Situe a banca, apresente os documentos que entregou, indique sobre qual parte do plano de ensino a sua aula corresponde, se possível no cronograma de aulas (Ex. Essa aula corresponde a aula 06, tema X);
– Apresente o plano de aula (já nos primeiros slides – mesmo que o edital não peça – não confunda plano de ensino com plano de aula);
– Recapitule a aula anterior; e
– Inicie seu tema.

Parte 2 (75%):
– Apresente o conteúdo de forma sequencial evidenciando nexos e relações – um pouco de eloquência e empolgação faz bem, mas não exagere;
– Incremente com diferentes recursos (vídeos, materiais físicos, quadro etc.)

Parte 3 (10%)
– Encerre o assunto principal;
– Abra espaço para discussão e dúvidas;
– Indique desdobramentos futuros, exercícios, atividades e leituras complementares; e
– Indique o tema que será visto na próxima aula;
– Encerre a aula.

3.3. Tempo de aula

Muita atenção com o tempo: se sua aula deve ser de 40min a 50min, treine até cravar o tempo em 44min ou 45min. Não improvise na apresentação, pois, além poder ficar ruim, isso pode te custar tempo. Quanto mais vezes treinar, melhor ficará. Se puder, chame a esposa(o), namorado(a), amigo(a), mãe, pai, cachorro, qualquer ser vivo que possa lhe assistir.

3.4. Menos nem sempre é mais

A maioria dos candidatos vai se concentrar quase que exclusivamente nos slides. Tente explorar outros recursos! O uso do quadro costuma chamar a atenção da banca. Além disso, elabore previamente esquemas para esclarecer no quadro e não tenha vergonha de usar uma “cola” do caderno se eventualmente precisar consultar algo durante a aula.

Em vez de entregar apenas o plano de ensino e/ou de aula grampeado, coloque ambos em uma pasta junto com os slides da aula, com exercícios ou atividades extraclasse e artigos como recomendação de leitura sobre o tema. Uma canetinha e um bloco para anotação podem chamar a atenção.

Também procure levar livros, vídeos, ferramentas, artigos (impressos), produtos que estiverem relacionados ao tema e que possam incrementar sua aula e mostrar que você tem muito mais conteúdo, sem usar o seu tempo de aula. Se possível, mostre onde estará o material virtual da disciplina (isso pode estar impresso em uma folha para não gastar seu tempo).

4. PLANO DE ATIVIDADES ACADÊMICAS E MEMORIAL DESCRITIVO

Sugiro começar a criação/adaptação do Plano de Atividades Acadêmicas e Memorial Descritivo, assim que o edital for divulgado. Ele normalmente leva tempo e soma uma porcentagem baixa para a composição da nota final, mas é uma excelente maneira de conhecer melhor o curso/área para a qual você está prestando o concurso para professor. Além disso, impressiona a banca quando esse material é construído com qualidade e profundidade.

O ideal é começar essa preparação antes de forma independente (com base em suas vivências) e depois alinhar tudo isso aos objetivos de cada edital. Ou seja, tanto no memorial quanto na proposta, construa um documento que integre e ressalte suas experiências e expertises de forma alinhada às necessidades expressas no edital – principalmente quanto ao ensino, pesquisa e extensão.

Quase não existem muitas referências disponíveis sobre o assunto na internet. Por isso, disponibilizo esse documento de forma totalmente gratuita. Além da estrutura, o documento expõe alguns detalhes que podem ser diferenciais em relação aos concorrentes. O arquivo vem comentado e em formato aberto (ou seja terminação “.doc”). Espero que ajude você como me ajudou, pois foi com esse plano que fui aprovado.

Outras dicas importantes sobre um concurso para professor:

– Seus concorrentes não são seus amigos. Não comente sobre o processo ou sobre sua performance com eles (eles podem usar isso contra você);

– Quanto mais concursos você prestar, mais preparado você tende a ficar;

– Ler vários blogs (muitos professores já relatam dicas valiosas em outros lugares). Eu vi dois bons posts no www.posgraduando.com.br;

– Cito um dos posts que li como dica adicional. “Em vez de perder seu tempo xeretando os currículos dos seus concorrentes na Plataforma Lattes (eu sei que isso é MUITO tentador, mas não faça!), estude com cuidado o currículo dos professores da banca”. Ver na íntegra aqui.

– Conheça a arena da luta! Se você não conhece a universidade ou não visita ela há tempos, tente ir ao local antes das provas e conhecer os espaços. Além de achar informações relevantes pelos corredores, você já saberá onde serão as provas e evitar surpresas. Nos dias das provas, chegue cedo!

– Mantenha seu lattes sempre atualizado e devidamente comprovado. Capriche na organização dele para encaminhar à banca.

Essas são as dicas que me sinto confortável a dar a vocês. Além disso, desejo boa sorte e peço que comente aqui se o post e o material lhe ajudou de alguma forma.

Sucesso!

Fonte: Julio Montex.

Você precisa estar logado para postar um comentário Login