Celso de Mello compara Brasil à Alemanha de Hitler. ‘Bolsonaristas odeiam democracia’

Decano do STF envia alerta aos demais ministros e afirma que apoiadores do presidente pretendem “uma desprezível e abjeta ditadura militar”

Ministro Celso de Mello. Foto: Nelson Jr./SCO/STF

O decano do STF (Supremo Tribunal Federal), ministro Celso de Mello, enviou mensagem aos demais ministro da Corte em que afirma que a intervenção das Forças Armadas, como pedem as manifestações que vêm sendo organizadas em apoio ao governo do presidente Jair Bolsonaro, na verdade “desprezam a liberdade e odeiam a democracia” e nada mais querem “senão a instauração, no Brasil, de uma desprezível e abjeta ditadura militar!!!!”. A informação foi dada pela jornalista Mônica Bergamo na Folha de S.Paulo.

O magistrado, que é relator do inquérito que investiga as acusações do ex-ministro da Justiça Sergio Moro contra Bolsonaro, sobre tentativas do presidente de interferir politicamente na Polícia Federal, compara em sua nota, o atual momento social e político no Brasil com o da Alemanha sob Adolf Hitler

“É preciso resistir à destruição da ordem democrática, para evitar o que ocorreu na República de Weimar quando Hitler, após eleito pelo voto popular e posteriormente nomeado pelo presidente Paul von Hindenburg como chanceler da Alemanha, não hesitou em romper e em nulificar a progressista, democrática e inovadora Constituição de Weimar, impondo ao país um sistema totalitário de Poder”, diz Celso de Mello.

O alerta de Celso de Mello soma força a várias manifestações contra os ataques constantes às instituições democráticas por Bolsonaro, que desde sexta-feira crescem nas redes sociais e na mídia.

A campanha #Somos70porcento, lançada semana passada pelo economista Eduardo Moreira ocupa, desde os primeiros lugares dos assuntos mais comentados do Twitter desde seu lançamento. A campanha lembra que a parcela da população que defende a ditadura e a ruptura da democracia no país é minoritária, apesar de fazer bastante barulho nas redes sociais, muitas vezes com apoio da mídia tradicional.

Além disso, abaixo-assinados publicados em alguns dos principais jornais do país demonstram que os ataques de Bolsonaro às instituições estão sendo cada vez mais mal recebidos pela sociedade. Um deles, de autoria de cerca de 600 juristas, foi publicado hoje (31). O outro, de músicos, esportistas, intelectuais, políticos e ativistas de diversos setores circulou ontem.

Leia, abaixo, a reprodução da mensagem de Celso de Mello aos ministros do STF:

“GUARDADAS as devidas proporções, O “OVO DA SERPENTE”, à semelhança do que ocorreu na República de Weimar (1919-1933) , PARECE estar prestes a eclodir NO BRASIL !

“É PRECISO RESISTIR À DESTRUIÇÃO DA ORDEM DEMOCRÁTICA, PARA EVITAR O QUE OCORREU NA REPÚBLICA DE WEIMAR QUANDO HITLER, após eleito por voto popular e posteriormente nomeado pelo Presidente Paul von Hindenburg , em 30/01/1933 , COMO CHANCELER (Primeiro Ministro) DA ALEMANHA (“REICHSKANZLER”), NÃO HESITOU EM ROMPER E EM NULIFICAR A PROGRESSISTA , DEMOCRÁTICA E INOVADORA CONSTITUIÇÃO DE WEIMAR, de 11/08/1919 , impondo ao País um sistema totalitário de poder viabilizado pela edição, em março de 1933 , da LEI (nazista) DE CONCESSÃO DE PLENOS PODERES (ou LEI HABILITANTE) que lhe permitiu legislar SEM a intervenção do Parlamento germânico!!!!

“INTERVENÇÃO MILITAR”, como pretendida por bolsonaristas e outras lideranças autocráticas que desprezam a liberdade e odeiam a democracia, NADA MAIS SIGNIFICA, na NOVILÍNGUA bolsonarista, SENÃO A INSTAURAÇÃO, no Brasil, DE UMA DESPREZÍVEL E ABJETA DITADURA MILITAR !!!!”

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.