Carlos Bolsonaro perde foro privilegiado: investigação da sua “rachadinha” será acelerada

Foto: Reprodução/Instagram

247 – O vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ) perdeu o direito ao foro especial no âmbito de uma investigação que apura o emprego de funcionários fantasmas em seu gabinete. Segundo reportagem do blog da jornalista Bela Megale, o Ministério Público do Rio de Janeiro reconheceu o declínio de competência e atribuição de 21 ações penais, além de investigações envolvendo vereadores do Rio que tramitem na primeira instância.

Leia mais: Na queda de Decotelli há racismo de um lado e pedantismo acadêmico do outro.

A permanência na primeira instância é fruto do entendimento da 1a Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) sobre a suspenção de um artigo da Constituição Fluminense que previa que vereadores também possuíam a prerrogativa de serem julgados por desembargadores.

Ainda segundo a reportagem, as investigações acerca da suspeita de contratações irregulares pelo gabinete do parlamentar estão sob responsabilidade do Grupo de Atribuição Originária Criminal (Gaocrim).

#Editorial Não à anexação da Palestina

#Editorial #NãoàanexaçãodaPalestina Quando alguém invade sua casa, destrói o seu quintal, arranca as flores do seu jardim, derruba as paredes, quebra seus quadros; Quando alguém expulsa, prende, sequestra, mata, seus filhos, seus pais, seus avôs; quando alguém destrói sua família, a separa, a mutila; Quando esse alguém ocupa sua casa e a registra ao seu nome, envenena o terreno, as águas, mata os animais e constrói outra casa encima do cadáver da sua; Quando alguém faz isso está fazendo o mesmo que a entidade sionista de Israel faz com o povo palestino: invadindo a Palestina, assassinando pessoas, ocupando seu território e roubando suas riquezas; Apesar da covardia da comunidade internacional a Palestina Resiste. Apesar do apoio cúmplice do imperialismo norte-americano, da União Europeia e dos países lacaios dos Estados Unidos à entidade sionista de Israel, a Palestina Resiste; Dizemos NÃO à anexação da Cisjordânia. NÃO aos crimes de guerra de Israel. SIM à resistência Palestina. SIM à completa devolução do seu território. SIM ao cumprimento da Lei do Retorno.SIM à convivência pacífica de árabes, judeus, cristãos, agnósticos e ateus na Terra Palestina, como antes de 1948. SIM à Palestina Livre e Unida!#Editorial #Desacato13Anos #RedeDeJornalismoSolidário

Posted by Desacato on Tuesday, June 30, 2020

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.