Brasil foi o país que mais matou travestis e transexuais em 2019

O levantamento reforça que "nenhuma ação foi tomada pelo governo brasileiro em relação à LGBTIfobia".

Foto: Tânia Rego/Agência Brasil

De acordo com informações antecipadas pela coluna de Alcelmo Gois, no Globo desta segunda-feira (27), o Brasil ficou em 1º lugar no ranking mundial como o país com mais mortes de travestis e transexuais.

O estudo, chamado Dossiê de Assassinatos e Violência contra Travestis e Transexuais Brasileiras em 2019, será divulgado na próxima quarta-feira pela Associação Nacional de Travestis e Transexuais (Antra).

O levantamento reforça que “nenhuma ação foi tomada pelo governo brasileiro em relação à LGBTIfobia” e que “pessoas LGBTI+ continuam sendo espancadas à luz do dia e há grupos de ódio eclodindo pelo país”.

Foram pelo menos 124 casos, cada um deles minuciosamente confirmado. Do total, só 11 tiveram suspeitos identificados pela polícia.

O estudo diz ainda que a maioria das vítimas era negra (82%), do gênero feminino (97%), estava no Nordeste (37%) e tinha entre 15 e 29 anos: 59,2%, sendo que três delas tinham só 15 anos; duas foram apedrejadas até a morte e a outra, espancada e enforcada.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.