Agronegócio troca 1 milhão de trabalhadores por 1 milhão de tratores em 11 anos

De acordo com o Censo Agro 2017 do IBGE, caiu de 84,4% para 77% número de estabelecimentos classificados como de Agricultura Familiar em 11 anos. Uso de agrotóxicos aumentou 20,5% no período

Em 11 anos, os estabelecimentos agropecuários fecharam 8,8% dos postos de trabalho, atingindo 1,5 milhão de trabalhadores e trabalhadoras, enquanto o número de tratores cresceu 49,9%, chegando a 1,22 milhões de unidades.

Os dados são Censo Agropecuário 2017, divulgado nesta sexta-feira (25), pelo IBGE que contou 5.073.324 estabelecimentos agropecuários no Brasil,  redução de 2% em relação a 2006, e crescimento de 5,8% na área ocupada, o equivalente a 351.289.816 hectares.

De acordo com o Censo, cerca de 77% dos estabelecimentos (3.897.408)  classificados como de Agricultura Familiar ocupavam uma área de 80,9 milhões de hectares, ou 23% da área total os estabelecimentos agropecuários do país. Em 2006, a agricultura familiar respondia por 84,4% (4.367.902 ) dos estabelecimentos agropecuário.

Os dados também mostram que a Agricultura Familiar reduziu ainda mais o quadro de trabalhadores e registrou menos 2.166 milhões de pessoas no período.  

Agrotóxicos

Cerca de 1,7 milhão de produtores informaram ter utilizado agrotóxicos em 2017, um aumento de 20,5% em relação a 2006.

Em 2017, cerca de 34% dos estabelecimentos que declararam despesas com agrotóxicos tinham 5 ha ou mais de área de lavouras. Estes estabelecimentos concentravam 94% da despesa com agrotóxicos.

Na série histórica dos censos agropecuários, esse número variou bastante, chegando ao seu ponto mais alto (quase 2 milhões) em 1980, e ao nível mais baixo (quase 1,4 milhão) em 2006.

Leia mais: Lançada a décima edição do concurso literário do Sinergia

Raça

Pela primeira vez, o Censo Agro investigou a cor ou raça dos produtores e descobriu que 52,8% eram pretos ou pardos e 45,4% eram brancos, numa distribuição semelhante à da população do país, segundo a PNAD Contínua.

Já a participação de mulheres e idosos de 65 anos ou mais na direção dos estabelecimentos aumentou, chegando a, respectivamente, 18,7% e 23,2%. Em 2006, as mulheres representavam 12,7% dos produtores e os idosos, 17,5%.

Aumenta 143% a contratação de mão de obra com intermediação de terceiros

A mão de obra contratada através da intermediação de terceiros, como empreiteiros, cooperativas de mão de obra e empresas, passou de 251.652 pessoas, em 2006, para 611.624 em 2017. Foi um crescimento de 143%.

Dentre as modalidades de contratação, a mais frequente foi a de contratação através de empreiteiros, com 497.247 estabelecimentos contratando mão de obra, dessa forma, ou 9,8% do total. Essa modalidade de contratação cresceu 108% em relação a 2006.

Área irrigada em estabelecimentos cresce 48%

Em 2017, 502.379 estabelecimentos agropecuários disseram usar algum método de irrigação, enquanto o total da área irrigada no país foi de 6,69 milhões de hectares. Em relação ao Censo Agropecuário 2006, observou-se um aumento de 52,6% no número de estabelecimentos com irrigação em suas terras e de 48% na área irrigada.

Proporção de produtores que receberam orientação técnica cai para 20,1%

Diminuiu de 22% para 20,1% a proporção de produtores que receberam orientação técnica. Em 2017, 1.025.443 produtores agropecuários declararam receber assistência técnica, correspondendo a 20,1% do total, uma proporção menor que a de 2006, quando havia 1.145.049 estabelecimentos que recebiam orientação técnica (22% do total).

Mais dados na página do IBGE.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.