África do Sul comemora 20 anos de democracia, lembrando Mandela

Publicado em: 28/04/2014 às 07:15
África do Sul comemora 20 anos de democracia, lembrando Mandela

President Jacob Zuma addresses crowds gathered to celebrate Freedom Day  at the Union Buildings in PretoriaÁfrica do Sul comemorou no domingo o seu 20 º aniversário desde que foram realizadas as primeiras eleições multirraciais. Dada a data, o presidente Jacob Zuma disse em seus primeiros vinte anos de democracia, o país sul tornou-se “um lugar muito melhor para se viver.”

Parabéns vieram de todo o mundo, da rainha Elizabeth II do secretário de Estado John Kerry EUA, para comemorar este 27 de abril de 1994, data considerada o primeiro dia da atual democracia sul-Africano.

Em um ato de Estado diante de uma multidão na sede do governo em Pretória, Zuma lembrou o presidente Nelson Mandela e disse “sangue, suor e lágrimas” descargas de ganhar “o direito precioso para votar”, e chamou seus compatriotas a votar novamente, “milhões” nas eleições legislativas em 7 de maio.

“Vamos votar para consolidar a democracia e todos os sucessos de nossa jovem nação”, disse o chefe de Estado, fazendo campanha para um segundo mandato para liderar a nação.

Zuma elogiou o bom trabalho dos sul-africanos, em defesa dos direitos humanos, melhorar o atendimento de suas necessidades básicas, o crescimento da economia, a luta contra o crime ea corrupção e até mesmo a construção de uma “melhor África e um mundo melhor. ”

“Nós temos abordado o nosso sonho acalentado de uma Europa unida, não-racial, não sexista, democrática e próspera”, disse ele.Também presidente do ANC, que Mandela levou seu líder mais icônico, disse que o sucesso da África do Sul no processo de “curar as feridas” do passado “brutal”.

“Passo a passo, estamos construindo o Sudáfica que lutaram por nossos combatentes da liberdade”, incluindo o ex-líder da luta contra o “apartheid”, morreu 5 de dezembro.

Zuma reconheceu, no entanto, que a África do Sul ainda tem um “caminho a percorrer” para a erradicação da pobreza, da desigualdade e do desemprego.

Fonte: LaInfo.es

Foto: Reuters

Deixe uma resposta