20 empresas participaram da reforma do Alvorada

Sugerido por Webster Franklin. Mas PF investiga apenas Odebrecht para “descobrir” se empreiteira fez reforma na piscina do Palácio sem contrato.

20 empresas participaram da reforma do Alvorada
Jornal GGN – Desde o último domingo (13) notícias se espalham pelos diversos meios de comunicação de que a Polícia Federal está investigando se a construtora Odebrecht fez uma reforma da piscina do Palácio do Alvorada, para o ex-presidente Lula, sem contrato. No artigo a seguir o Tijolaço lança luz ao tema, com a ajuda do internauta Leandro Fortes colaborando com a PF nas investigações.
Se trata de uma matéria reproduzida pela própria Folha de S.Paulo, no dia 7 de abril de 2006, mostrando que o então presidente Lula aproveitava a reinauguração do Palácio da Alvorada para pedir ao grupo de empresas que tocaram as obras de reforma no Alvorada para reformar também o Palácio do Planalto.
“Na cerimônia, Lula reclamou dos ‘engraçadinhos’ que criticam os custos e afirmou que só ele teve a ‘coragem’ de levar adiante a restauração”.
A matéria da Folha continua: “A reforma do Alvorada foi bancada por um consórcio de 20 empresas, que pagaram R$ 920 mil cada uma pela obra”. Assim, o Tijolaço sugere que a PF terá que investigar, pelo menos, mais 19 empresas além da Odebrecht para avaliar se ocorreu um suposto favorecimento do ex-presidente para a reforma não só da piscina, mas de todos os espaços do Alvorada.
Por Fernando Brito · 13/11/2016
O coleguinha Leandro Fortes, no Facebook, abre um caminho imenso às investigações da Polícia Federal que são, hoje, na capa da Folha, intensas para descobrir se a Odebrecht fez, de graça, a reforma das pedras que cercam a piscina do Palácio da Alvorada.
Não é só ela, tem mais 19 empresas que pagaram (ou gastaram) para recuperar o Palácio.
Transcrevo da própria  Folha, edição de 7 de abril de 2006:
A reforma do Alvorada foi bancada por um consórcio de 20 empresas, que pagaram R$ 920 mil cada uma pela obra. Elas tomaram a decisão depois de Lula ter reclamado do estado do palácio em um jantar com empresários em junho de 2004.
Elas pagaram pela obra, veja só.
E não foi pouco, porque dá R$ 1,7 milhão em dinheiro de hoje.
E como é que Lula explicou este “financiamento privado” de de obras em próprios públicos?
O presidente Luiz Inácio Lula da Silva aproveitou a reinauguração do Palácio da Alvorada ontem à noite para dizer, na frente dos empresários que pagaram a obra de R$ 18,4 milhões, que o Palácio do Planalto também precisa de reformas.
Na cerimônia, Lula reclamou dos “engraçadinhos” que criticam os custos e afirmou que só ele teve a “coragem” de levar adiante a restauração.
“Se depender de mim, tem muita coisa para ser restaurada neste país. E, se depender de mim, vocês [empresários] vão ser parceiros em outras restaurações. Se quiserem ver uma coisa é só entrarem no Palácio do Planalto. É só entrar para ver como aquilo vai precisar”, disse o presidente, improvisando“.
Que descarado!
Pede publicamente ajuda dos empresários para reformar  o “seu palácio”, como se aquilo não fosse patrimônio público.
Porque, se depender da turma da Lava Jato, são capazes de criminalizar as doações de empresários que mantêm incólume ao tempo o David de Michelângelo, para ficar na Itália que lhes serve de modelo, e nem cito Berlusconi.
Estão sangrando Lula na veia de saúde.
Achem um “corrupção plausível”  e dêem seus indícios, não estas histórias de que um homem que teve tanto poder durante oito anos tenha pego dois pedalinhos para si.
De pedalinho e beira de piscina, francamente, vão se expor ao ridículo, ainda que isso demore.

Você precisa estar logado para postar um comentário Login