Virada do Latão: O Terminal É Nosso!

Publicado em: 10/05/2011 às 14:12
Virada do Latão: O Terminal É Nosso!

Frente de Luta pelo Transporte Público organiza ocupação de 24 horas do Terminal do Centro (Ticen) e da Avenida Paulo Fontes.

Com o intuito de chamar atenção da cidade e do poder público de Florianópolis para a crise em que se encontra o atual modelo de transporte coletivo, e mostrar mais uma vez que não aceita o último aumento nas tarifas, a Frente de Luta pelo Transporte Público (espaço de convergência de movimentos sociais, organizações e pessoas em luta pelo transporte público) convoca toda população a participar da ocupação VIRADA DO LATÃO: O TERMINAL É NOSSO.

A ocupação será no dia 12/05/2011, a partir das 12h, até as 12h do dia 13/05/2011. Diversas intervenções culturais e lúdicas ocorrerão durante este período, além de debates, oficinas e a produção e distribuição de materiais de discussão sobre o transporte coletivo, transformando o Ticen e a Avenida Paulo Fontes naquilo que eles deveriam ser: espaços verdadeiramente públicos, destinados aos interesses da população.

Queremos mostrar que o povo de Florianópolis não suporta mais a atual situação que vive o transporte coletivo da cidade, com um modelo que transforma um serviço público essencial numa mercadoria explorada por políticos e empresários, que lucram todos os dias com nossos deslocamentos e impedem boa parte da população do acesso aos direitos e serviços que a cidade deveria nos oferecer. Por isso, buscamos o envolvimento de toda população na luta por um novo projeto para o transporte.

Defendemos medidas concretas como a Municipalização (ou seja, o controle político e público do sistema de transporte, com participação popular, retirando a gestão das mãos de empresas privadas) e a Tarifa Zero, como forma de aplicação prática do transporte como direito coletivo, envolvendo todos os setores da sociedade no financiamento do custo do sistema de transporte público, através de impostos e tributos municipais cobrados dos setores mais ricos da cidade, para que o transporte seja financiado pelo município, garantindo para a população o acesso a um serviço verdadeiramente público, gratuito e de qualidade, sem exclusão social.

Levaremos este debate durante a ocupação, e exigimos que a Prefeitura (na figura do prefeito e do secretário de transportes) e a Câmara de Vereadores compareçam nas atividades propostas, para dialogar com a população de uma vez por todas. Que um grande ciclo de debates e audiências públicas sobre o transporte coletivo seja aberto, para a construção de um grande Plebiscito Popular em que a população possa dizer qual transporte e mobilidade quer para Florianópolis.

Contra a tarifa!

Por uma Florianópolis sem catracas!

Imagem: passapalavra.info

 

Deixe uma resposta