Vigília reúne milhares em Umuarama (PR) contra as mudanças climáticas

Publicado em: 10/05/2017 às 12:39
Vigília reúne milhares em Umuarama (PR) contra as mudanças climáticas
À luz de velas, noite foi marcada por orações e pela presença de refugiados climáticos vindos do Haiti, que hoje buscam no Brasil oportunidades de trabalho e vida mais dignas
Por Nathália Clark.

UMUARAMA, PARANÁ — Uma noite de emoção, fé e esperança. Esse foi o clima que reuniu cerca de três mil pessoas neste sábado (06) em frente à Catedral do Divino Espírito Santo em Umuarama, Noroeste do Paraná, durante a Grande Vigília pela Criação e pelos Refugiados Climáticos. Inspirados pela Encíclica Laudato Si e pelos ensinamentos do Papa Francisco, mulheres e homens, crianças e jovens estiveram unidos em oração para pedir que governos, igrejas, universidades, indústrias e outras instituições desinvistam de projetos ligados a combustíveis fósseis, e promovam ações efetivas para cuidar da Casa Comum.

“Nós estamos mostrando às pessoas a destruição que a indústria dos combustíveis fósseis causa com as emissões de gases que agravam o aquecimento global e como ela está colocando em risco a existência da vida neste planeta. Unidos podemos corrigir a rota e exigir dos governantes que abandonem imediatamente os combustíveis fósseis e trilhem o caminho das energias renováveis”, afirmou Nicole Figueiredo de Oliveira, diretora da 350.org Brasil e América Latina.

Confira a galeria de fotos da Grande Vigília pela Criação e pelos Refugiados Climáticos

A TV UP, da Unipar,  fez a transmissão ao vivo da Vigília pela Criação e Refugiados Climáticos.

A ação em Umuarama faz parte da Mobilização Global pelo Desinvestimento, promovida pela 350.org Brasil e América Latina em parceria com a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), representada pela Diocese de Umuarama, Cáritas Paraná e COESUS – Coalizão Não Fracking Brasil pelo Clima, Água e Vida.

Até o dia 13 de maio serão realizadas mais de 130 ações em diversos países nos seis continentes. O objetivo é expor publicamente a responsabilidade da indústria dos combustíveis fósseis no aquecimento global, que por sua vez intensifica as mudanças climáticas, e lembrar que, com união, as populações podem exercer influência sobre a tomada de decisão nos diversos setores da sociedade.

Deixe uma resposta