Vídeo Índio Brasil 2010 – RIO CLARO/SP (de 31/07 a 09/08)

Publicado em: 28/07/2010 às 09:43
Vídeo Índio Brasil 2010 – RIO CLARO/SP (de 31/07 a 09/08)

Vídeo Índio Brasil (VIB) será realizado em Rio Claro de 31 de julho a 9 de agosto

Filmes vencedores de premiações nacionais e internacionais e recente produção audiovisual, com temática indígena, serão exibidos simultaneamente em Rio Claro e mais cento e dez cidades do Brasil.
O evento é gratuito tendo toda a sua programação com entrada franca.

A terceira edição do Vídeo Índio Brasil (VIB) contempla cidades de todos os estados brasileiros. O festival nacionalmente acontece de 31 de julho a 07 de agosto (em Rio Claro indo até o dia 09), quando serão exibidos filmes com temática indígena em mais de cem cidades, simultaneamente. Rio Claro, através do Ponto de Cultura Rio Claro Cidade Viva, é uma das cidades selecionadas para receber o festival.

Em Rio Claro todos os dias do festival serão realizados na sede do Centro de Voluntariado de Rio Claro e Ponto de Cultura Rio Claro Cidade Viva (Avenida Visconde do Rio Claro, esquina com Avenida 26 – nº290 – Centro). Apenas na 5ªFeira dia 05/08 é que durante o evento será realizado um Bate Papo Cultural no Centro Cultural Municipal Roberto Palmari.

O objetivo do festival é fortalecer e divulgar a temática indígena no Brasil. “O Vídeo Índio Brasil tornou-se um dos principais programas referentes à difusão das culturas indígenas no país. Como o Brasil é signatário da Convenção Mundial da Diversidade Cultural, aprovada pela Organização das Nações Unidas (ONU), estamos dando nossa contribuição”, resume o idealizador, e diretor do VIB, o produtor cultural Nilson Rodrigues. Binho Perinotto (Fábio Riani Costa Perinotto), dinamizador TUXÁUA da Rede de Pontos de Cultura, membro da coordenação do Ponto de Cultura Rio Claro Cidade Viva e um dos coordenadores do VIB 2010 em Rio Claro comenta: “Nossa intenção em trazer este evento para a cidade de Rio Claro é fortalecer debates e políticas públicas sobre a temática indígena no município e na região. Há, por exemplo, a lei federal 11.645 que trabalha a questão indígena, sua história e cultura, dentro da educação formal escolar. Temos intenção de garantir que ela seja implementada no município e com qualidade, além de ampliar e fomentar pesquisas e trabalhos com a temática indígena nas mais diversas áreas do conhecimento”.

Neste ano, estiveram na disputa 80 filmes de todo o Brasil para compor a mostra audiovisual do projeto. A curadoria do VIB selecionou longas e curtas-metragens nas categorias documentário, ficção e animação, compondo uma diversidade de produções realizadas por índios e não índios que mostram, por meio do audiovisual, peculiaridades das culturas indígenas de todo o país.

Para a realização do evento aqui na cidade de Rio Claro foi realizada parceria entre o Centro de Voluntariado e Ponto de Cultura Rio Claro Cidade Viva, Arquivo Público e Histórico Municipal, Assessoria de Juventude, e a UNESP através dos docentes: Prof. Dr. Romualdo Dias e Prof. Dra. Bernadete Castro.

Debates e Bate Papo Cultural

Além da exibição dos filmes, teremos em Rio Claro alguns debates sobre diversas questões indígenas, recebendo inclusive índios e não-índios de outras cidades, somando nesse debate as impressões e idéias sobre os conteúdos das produções audiovisuais exibidas.

Programação VIB2010 em Rio Claro

Toda a programação terá início às 19h00, com entrada gratuita.

Dia 31/07 (sábado) – Local: Ponto de Cultura Rio Claro Cidade Viva (Avenida Visconde do Rio Claro, esquina com Avenida 26 – nº290 – Centro).

– Abertura Oficial com o Início da Exposição Fotográfica ”Arandu Porã” (Sabedoria sensível Guarani/Mbya) – fotografias realizadas por adolescentes indígenas da aldeia Rio Siveiras, através do patrocínio da PROAC.

– Exibição dos vídeos: “Já me transformei em imagem” e “De volta à terra boa”, seguidos de debates entre os presentes.

Dia 01/08 (domingo) – Local: Ponto de Cultura Rio Claro Cidade Viva (Avenida Visconde do Rio Claro, esquina com Avenida 26 – nº290 – Centro).

– Exibição do vídeo “Corumbiara”, seguido de debate entre os presentes.

Dia 02/08 (segunda-feira) – Local: Ponto de Cultura Rio Claro Cidade Viva (Avenida Visconde do Rio Claro, esquina com Avenida 26 – nº290 – Centro).

– Exibição dos vídeos: “Kuhi kugü, os Kuikuro se apresentam” e “Pi’õnhitsi, mulheres Xavante sem nome”.

– Debate: “A questão indígena mais perto de nós: a imagem do indígena no século XXI e os indígenas que vivem em nossas cidades”. Convidado: Marcos Júlio Aguiar (Fóum Permantente de Assuntos Indígenas – ONU, Pontão de Cultura “Cultura e Meio Ambiente – Tecendo o Saber”, Ponto de Cultura “Cultura Grande SP” e Ong Opção Brasil. Dinamizador TUXÁUA da Rede de Pontos de Cultura. Formador de educadores para o trabalho indígena em salas de aula). Participação especial dos índios: Elton José (da etnia Terena), Avani Florentino (da etnia Fulni-ô) e Marcela (da etnia Pankararu).

Dia 03/08 (terça-feira) – Local: Ponto de Cultura Rio Claro Cidade Viva (Avenida Visconde do Rio Claro, esquina com Avenida 26 – nº290 – Centro).

– Exibição dos vídeos: “Pajerama”, “Porahey” e “Imbé gikegü – cheiro de pequi”, seguidos de debates entre os presentes.

Dia 04/08 (quarta-feira) – Local: Ponto de Cultura Rio Claro Cidade Viva (Avenida Visconde do Rio Claro, esquina com Avenida 26 – nº290 – Centro).

– Exibição do vídeo “Mokoi tekoá petei jeguatá – duas aldeias, uma caminhada”.

– Debate: “O caso Tailândia do Pará – combate ao desmatamento ilegal e o caos socioeconômico”. Convidado: João Ricardo Penteado Lopes da Silva (Rio-clarense formado no curso de Jornalismo pela UNESP de Bauru).

Dia 05/08 (quinta-feira) – Local: Centro Cultural Municipal Roberto Palmari.

– Exibição dos vídeos: “Kré” e “Kene Yuxi, as voltas do kene”.

– Bate Papo Cultural: “Literatura Indígena na escola”. Mediação: Prof. Dr. Romualdo Dias. Convidado: Olívio Jekupé – Aldeia Krukutu (Guarani). Escritor e poeta, começou a escrever aos 15 anos e é autor de vários livros e uma antologia na Itália. Estudou por alguns anos Filosofia na PUC Paraná e USP. Seus livros podem ser usados para uma proposta de “literatura indígena na escola”.  Atualmente é Presidente da Associação Guarani Nhe e Porã. Mora na aldeia Krukutu (Guarani), no distrito de Parelheiros – Zona Sul de São Paulo. Neste bate-papo o acompanham sua esposa, Maria Kerexu, e dois de seus filhos, Tupã Mirim e Jeguaká Mirim, que são também escritores e contadores de histórias. Mantém seu blog ativo no qual constam informações sobre seus projetos e de seus familiares: www.oliviojekupe.blogspot.com.

Dia 06/08 (sexta-feira) – Local: Ponto de Cultura Rio Claro Cidade Viva (Avenida Visconde do Rio Claro, esquina com Avenida 26 – nº290 – Centro).

– Exibição dos vídeos: “Indígenas Digitais” e “A gente luta, mas come fruta”.

– Debate: “Oficinas de formação de realizadores indígenas: Os Ashaninka do Rio Amônia”. Relato sobre o trabalho de campo realizado na aldeia Apiwtxa acompanhando a oficina de formação de realizadores do projeto “Vídeo nas Aldeias”. Convidada: Adriana Busso (formada no curso de Ciências Sociais, Antropologia, pela UNICAMP; pesquisadora pelo Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social da UFSCAR).

Dia 07/08 (sábado) – Local: Ponto de Cultura Rio Claro Cidade Viva (Avenida Visconde do Rio Claro, esquina com Avenida 26 – nº290 – Centro).

– Exibição do vídeo “Terra vermelha”, seguido de debate entre os presentes.

– Confraternização e atividade de encerramento das atividades de exibição do Vídeo Índio Brasil.

Dia 09/08 (segunda-feira) – Local: UNESP (Anfiteatro do Instituto de Biociências).

– Debate: “A questão indígena e as políticas públicas: Educação e outras áreas”. Convidados: Prof. Dra. Bernadete Castro (docente na UNESP Rio Claro – Doutora em Antropologia pela USP) e Prof. Dr. Paulo José Brando Santilli (Ex-presidente da FUNAI, atualmente docente na UNESP Araraquara – Doutor em Antropologia pela USP e Pós-Doutor pela University of St Andrews, Escócia).

Histórico

O Vídeo Índio Brasil 2010 é patrocinado pelo Ministério da Cultura, Secretaria da Identidade e da Diversidade Cultural e Secretaria do Audiovisual. O projeto nasceu de uma mostra cinematográfica do 4º Festival de Cinema de Campo Grande – FestCine Pantanal, em 2007, em uma realização do CineCultura. No ano seguinte, o projeto tomou forma e as duas edições realizadas (2008 e 2009) contaram com o apoio do Ministério da Cultura, da Secretaria da Identidade e da Diversidade Cultural e do Fundo Nacional de Cultura. O festival teve ainda apoio da Fundação Nacional do Índio (Funai) e do Ministério do Turismo. Em 2008, 03 cidades participaram do Vídeo Índio Brasil: Campo Grande, Dourados e Corumbá. No ano de 2009, o projeto ampliou seu circuito de exibição para 07 cidades de MS. E em 2010, na sua 3ª Edição, amplia-se para mais de 110 cidades distribuídas no Brasil inteiro, incluindo Rio Claro.

Em Campo Grande (MS), cidade sede nacional do Vídeo Índio Brasil, além da exibição dos filmes haverá neste ano também o Seminário “A Imagem dos Povos Indígenas no Século 21” para discutir as novas tecnologias da comunicação e o espaço que o índio tem na mídia brasileira. Também na Capital de Mato Grosso do Sul acontecerá a oficina de audiovisual direcionada apenas a índios – desde a primeira edição do VIB a oficina vem sendo realizada.

Serviço – Todas as atividades do Vídeo Índio Brasil terão entrada franca. Mais informações através dos contatos: (19) 35338217 – Ponto de Cultura Rio Claro Cidade Viva / (19) 97750972 – Binho Perinotto.

Para saber mais sobre o projeto e obter arquivos (Fotos, Imagens e Textos),

visite o site: www.videoindiobrasil.org.br

Deixe uma resposta