UPA de Forquilhinhas é gerida por OS e custa R$12.139.455,48 por ano ao município

Foto: Divulgação Secom/PMSJ

Pensar São José.- A cidade de Florianópolis vive uma grande polêmica por conta da possível contratação de Organizações Sociais(OS) para executarem serviços de saúde e educação.

Em São José essa questão já está ultrapassada e a polêmica sobre a necessidade de um maior debate com a sociedade gerou muita repercussão no município.

Em São José já é possível ter OS administrando Unidades de Saúde. 

Aliás, o Pronto Atendimento da Policlínica de Forquilhinhas é gerido por uma dessas organizações e recebe cerca de R$1 milhão de reais por mês, para operar.

Lei 5633/2017 foi aprovada pela Câmara de Vereadores em outubro do ano passado autorizando a prefeitura a contratar as chamadas OS para administrar unidades de saúde.

Em São José o projeto entrou na Câmara em regime de urgência e foi aprovado em cerca de dez dias. As comissões deram um parecer conjunto, ou seja, não houve discussão do projeto de lei em cada uma das comissões.

Conforme matéria do Jornal “Hora de Santa Catarina” a proposta não foi aprovada pelo Conselho Municipal de Saúde, não foi nem se quer debatida antes de ser enviada à Câmara de Vereadores.

Após a aprovação, a Prefeitura lançou o EDITAL Nº 001/2017/SCC de convocação pública para qualificação de organização social na área da saúde, que culminou com a contratação da OS “INSTITUTO DE DESENVOLVIMENTO DE ENSINO E ASSIST. Á SAÚDE” – IDEAS, pelo valor anual de R$12.139.455,48.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.