“Sui Generis”: Crítica, Humor e Circo num espetáculo formado por pessoas trans, travestis e não binárias

Espetáculo “Sui Generis” integra o “Festival de Verão de 2019”, com apresentação única no dia 20 de janeiro, às 21h, na Casa do Palhaço, em Florianópolis.

Foto: Fluidez Viva

Crítica, humor e circo: é o que pulsa no espetáculo “Sui Generis”, da Cia. Fundo Mundo. Com criação e elenco formado integralmente por pessoas transgêneras, travestis e não binárias, o espetáculo aborda as temáticas de gênero e sexualidade de uma maneira ácida e provocativa, carregada de humor. Contando com performances de acrobacias aéreas, malabarismo, bambolê, música e poesia, artistas desafiam o público a sair de sua zona de conforto.

Com estreia em 2018, em Florianópolis/SC, o espetáculo está conectado com as mais recentes discussões acerca da transgeneridade. Através de linguagem acessível e popular, o grupo traz reflexões que extrapolam o senso comum, sem deixar de lado todo o encantamento que o universo circense proporciona.

“Sui Generis” integra o “Festival de Verão de 2019”, que reune diversos espetáculos de circo, palhaçaria e teatro. O Festival ocorre durante os meses de janeiro e fevereiro na Casa do Palhaço, antigo Circo da Dona Bilica. O espaço fica na rua Manoel Pedro Vieira, 601. O ingresso é via contribuição espontânea.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Serviço:

20 de janeiro de 2019 , às 21h

Casa do Palhaço – Rua Manoel Pedro Vieira, 601 – Morro das Pedras – Florianópolis.

Ingressos via contribuição espontânea

Classificação Indicativa: 14 anos

Ficha Técnica:

Elenco: Helen Maria, Ian Maini, Juno Nedel, Lui Castanho, Noam Scapin, Vulcanika Pokaropa

Criação e direção: Cia. Fundo Mund

Um pouco mais sobre o espetáculo “Sui Generis”:

“Sui Generis” é o primeiro espetáculo da Cia Fundo Mundo, que teve sua estreia em 2018, na Casa do Palhaço, Florianópolis/SC.

O espetáculo acontece no formato de um cabaré circense, com diversos números de habilidades, com a condução de Helen Maria. Já de início, porém, o público percebe que o espetáculo não tem nada de muito convencional, tanto na forma como se desenrola quanto em sua abordagem sobre o tema da transgeneridade.

Com uma carga humorística bem marcada, os espectadores são constantemente seduzidos a embarcar em uma linha de pensamento que logo em seguida é quebrada ou subvertida, fazendo com que tenham que reformular (ou abandonar) seus pressupostos.

“Sui Generis” é um espetáculo crítico e provocador que, ao invés de pretender explicar ou definir a transgeneridade, convida o público à reflexão, ao propor narrativas e possibilidades que extrapolam as fronteiras pré-estabelecidas.

Um pouco mais sobre Cia. Fundo Mundo

A Cia. Fundo Mundo foi criada em 2017, sediada em Florianópolis/SC. É um grupo formado exclusivamente por pessoas transgêneras, travestis e não binárias, que se reúne sob o entendimento de que o corpo trans, como corpo diverso, é dotado de potência. Seu mote é explorar e extrapolar as fronteiras de gênero e sexualidade, utilizando seus próprios corpos como motores de pesquisa e criação.

O grupo conta com seis artistas circenses, de especialidades variadas, dentre elas: acrobacia, acrobacia aérea, bambolê, malabarismo e palhaçaria. Seu fazer artístisco, porém, ultrapassa as barreiras do circo, agregando performance, teatro, música e poesia. Além disso, o grupo se dedica à experimentação em novos equipamentos circenses, utilizando materiais e composições não convencionais na busca por inovação.

Com uma importante formação em palhaçaria, tem o humor como uma de suas características mais marcantes, utilizando-o como ferramenta para abordar assuntos que comumente são encarados como tabu.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.