Sete coisas que você talvez não saiba sobre Rodrigo Maia, que assume se Temer cair

Publicado em: 08/07/2017 às 11:08

Rodrigo Felinto Ibarra Epitácio Maia nasceu em Santiago, no Chile, em 12 de junho de 1970.

O pai dele, Cesar Maia, estava exilado por causa da ditadura. Rodrigo Maia, no entanto, é considerado brasileiro nato pela lei brasileira: ele foi registrado no consulado do Brasil em Santiago.

Em 2012, a Assembleia Legislativa do Rio concedeu a Rodrigo Maia o título de cidadão do Estado do Rio de Janeiro.

Ao contrário do que muita gente pensa, Rodrigo Maia não esteve sempre no DEM. Ele começou a carreira no PDT de Leonel Brizola, e apoiou Lula na disputa de 1989, aos 19 anos.

O Globo / Reprodução

“Chorei ao ver Brizola nas ruas na campanha de 1989. Quando meu pai deixou o PDT, os brizolistas apostaram que eu ficaria. Ainda sou fã de Brizola, mas ele parou no tempo”, declarou Rodrigo ao jornal O Globo, em novembro de 1996.

Formado em economia, Maia largou a carreira no mercado financeiro — ele era analista de cenário político num banco.

Durante sua trajetória, o deputado manteve bom trânsito no mercado financeiro. Se Temer cair e ele entrar no lugar, a base da equipe econômica atual deve ser mantida.

 Ueslei Marcelino / Reuters

Ele passou a acompanhar as campanhas de Cesar Maia aos 16 anos. “Sempre acompanhei meu pai. Quando tirei carteira de motorista, passei a dirigir para ele nas campanhas”, afirmou o deputado ao jornal O Globo, em setembro de 2002.

O primeiro cargo público que ocupou foi em 1996: a Secretaria de Governo na Prefeitura do Rio, durante a gestão Luiz Paulo Conde — que foi afilhado político de Cesar Maia.

 Evaristo Sa / AFP / Getty Images

Foi nessa época que ele se filiou ao PFL, partido ao qual Cesar Maia era filiado e que depois mudou de nome para Democratas (DEM).

Ele ficou lá até abril de 1998, quando saiu da prefeitura para concorrer a deputado federal pela primeira vez. Desde então, se reelegeu para a Casa em todas as eleições que disputou daí em diante.

Em 2012, concorreu à Prefeitura do Rio e ficou na terceira colocação, com 2,9% dos votos. Eduardo Paes (PMDB) derrotou Marcelo Freixo (PSOL) no segundo turno.

Quando se elegeu pela 1ª vez, Maia declarou: “Meu referencial na política foi meu pai. No fundamental, nunca discordamos.”

Detalhe: quando Rodrigo Maia estreou na Câmara, em 1999, o presidente da Casa era Michel Temer (PMDB-SP).

 Ueslei Marcelino / Reuters

Aos 28 anos, ele era o mais jovem parlamentar do Rio de Janeiro.

Nos anos 1990, antes de entrar na política, Rodrigo Maia foi diretor de remo do Botafogo, seu time do coração. Em uma competição, brigou com um dirigente do Flamengo por causa do critério de desempate, e teria ameaçado o adversário.

O Globo / Reprodução

“Ameaça de morte droga nenhuma. Isso é papo de derrotado”, ele disse ao jornal O Globo, questionado sobre o tema à época. O Botafogo venceu a competição.

A paixão de Rodrigo Maia pelo Alvinegro carioca rendeu a ele o apelidado de Botafogo nas planilhas da Odebrecht.

 Caixa Econômica Federal / Divulgação

Segundo delatores, Maia recebeu R$ 1 milhão em caixa dois, ao todo, nas campanhas de 2008, 2010 e 2012.

Um relatório da Polícia Federal também levanta suspeita em relação à OAS. O deputado teria recebido R$ 1 milhão da empresa, em 2013.

O deputado nega ter cometido irregularidades.

Maia passou a ocupar a presidência da Câmara após a prisão de seu antecessor, Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

 Reprodução

Alexandre Aragão é Repórter do BuzzFeed e trabalha em São Paulo. Entre em contato com ele pelo email [email protected]

Fonte: BuzzFeed.

Deixe uma resposta