Sem cores. Por Régis Mubarak.

Foto: Régis Mubarak.

Por Régis Mubarak.

As horas se desmanchando

Salvador Dali

escondeu-se em mim.

As flores despedaçando,

porque Monet abandonou seu jardim?

Não vejo girassóis me iluminar,

não ouço Van Gogh vir me chamar.

Sem o teu amor

perco pedaços de mim.

Sem teu corpo na cama

nem Magritte ou Matisse,

do inferno de Bosch

Roerich me resgatará.

Sem amor /falta de amor

não existem cores,

só (as horríveis) dores.

Grandes gênios

eternizam seus quadros,

livros, poesias e velhas canções.

Enquanto paixões violentas

enterram ainda vivos/pulsantes,

homens , mulheres e seus corações.

 

Régis Mubarak – Jornalista.

Mendoza Argentina & Rio Grande do Sul Brasil.

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.